Conecte-se conosco

Câmara Municipal de Nova Serrana

Contas do executivo municipal são aprovadas na Câmara de Nova Serrana

Avatar

Publicados

em

Foi deliberado para plenário durante a reunião ordinária da última terça-feira, dia 18 de fevereiro as contas da administração municipal referente ao ano de 2017. Após ser colocado em votação, por unanimidade, os vereadores seguiram o parecer do Tribunal de Contas, contudo quatro edis fizeram questão de que fosse colocado em ata a aprovação com as recomendações do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MG).

Ponto de vista da oposição

Ao ser deliberado para o plenário foi aberta a palavra para debate, sendo considerado pelo vereador Cabral (Pros) que as recomendações com relação a analise do TCE devem ser consideradas e lembradas.

“Analisando as contas vou ser favorável ao parece, mas quero mostrar as recomendações feitas em 2017. Só para iniciar a arrecadação de 2016 para 2017 teve um aumento de R$ 6 milhões, quanto a nota C é o seguinte, no parecer foram sete índices e vários deles receberam nota C do TCE”. Disse Cabral.

O vereador seguiu sua fala dizendo que “olhando pelo planejamento, o que fizeram, pegaram um funcionário efetivo que ganha quase R$ 12 mil e colocaram no fórum, ele conhece a gestão há mais tempo, poderia ser melhor utilizado. Não teve uma ação em 2017 relacionado ao planejamento. Sobre a gestão fiscal não foi eficaz em nada”. Afirmou Cabral que votou seguindo a analise do TCE.

Em pensamento semelhante ao do vereador Cabral, Willian Barcelos (PTB) considerou que analisou a prestação de contas e apontou questões de devem ser melhor observadas pela gestão.

“Tive o cuidado de ler a prestação ao longo do ano passado e endosso grande parte do discurso do vereador Cabral porque são observações que já tínhamos feito em reunião das comissões”.

Seguindo Barcelos apontou que “essa questão de não pagar o piso nacional dos profissionais da educação, é algo que tem sido colocado pelo TCE, que recomendam o pagamento do piso definido pela união através de lei federal. Quando vim à tribuna falar da reforma administrativa falaram que eu estava querendo baixar o salário de diretores, estava querendo não eu quero! Enquanto professores ganham ninharia temos diretores com salário superiores ao de profissionais de unidades do estado com mais de 2 mil alunos”. Apontou.

Ainda em seu discurso Barcelos afirmou. “Eu sou favorável colocando essas recomendações dizendo que em 2018 as contas não chegaram e pela experiência que tenho quando demoram muito pra chegar é porque as coisas não andam lá muito bem”. Disse Barcelos.

Após as considerações do professor novamente o vereador Cabral considerou que diante da arrecadação do município, os valores devidos pelo estado são baixos diante dos prejuízos supostamente tomados, e ainda, considerou que ele também tem medo do que está por vir quanto as contas dos anos de 2018 e 2019.

Por sua vez a vereadora Terezinha do Salão também considerou que ser favorável a aprovação com as recomendações sendo constadas em ata. “Sou favorável, mas com a mesma recomendação. Isso aqui, esse piso da educação já foi discutido entre os vereadores e isso tem que ser pago sim. Para ser aprovado tinha que ser pago o piso. Os professores se doam tanto para receber pouquíssimo. Temos que colocar a ressalva e cobrar. Voto pela aprovação, mas essa determinação tem que ser cobrada não somente por mim mas pelos 13 vereadores”. Considerou Teresinha.

Base se Posiciona

Após as considerações dos vereadores o líder do governo Pr. Giovani Máximo (MDB) salientou que “estamos diante de uma prestação de contas, dentre todas as observações que foram feitas, ficamos satisfeitos pelo menos dentro do meu ponto de vista, o papel do Tribunal de Contas é esse fazer seus apontamentos”.

Seguindo em seu entendimento o edil ponderou. “Hoje Nova Serrana goza de vários benefícios que foram feitos e executados. É inevitável que tenha contrariedade de uns ou de outros, porque estamos gozando de uma educação melhor, uma segurança melhor. Éramos a 4ª cidade mais violenta de Minas, hoje somos a 34ª, tivemos um salto glorioso”.

Ainda no entendimento do vereador Pr. Giovani, “a gestão tem tido seus desafios, mas não somente como líder do governo, mas como cidadão e vereador, nos 20 anos que trabalho aqui, nos últimos 3 podemos avaliar que a administração está aprovada, as eleições estão ai e vamos ver o resultado nas eleições”. Salientou o líder do governo que finalizou afirmando que é a favor da aprovação das contas.

Em seguida o vereador Jadir Chanel (MDB) rebateu as considerações dos opositores. “É interessante a observação que essas contas no tribunal houve recomendação como contas de qualquer município, isso é natural em qualquer município do país e não houve ressalva”.

Seguindo no seu pensamento Jadir rechaçou as falas de alguns edis. “Interessante que temos matemáticos com bola de cristal prevendo o futuro. Tivemos 12 anos sem concurso, essa gestão realizou. O concurso da guarda está para acontecer. O fundo previdenciário ao final da gestão se terá pago quase o mesmo valor que se teve em todos os anos até então. Então assim acompanho o parecer do tribunal e voto favorável as contas da administração referente ao anos de 2017”. Finalizou Jadir.

Aprovação

Após ser debatido o projeto foi colocado em votação. Para ser negado era necessário o voto contrário de 2/3 dos edis, contudo a matéria foi aprovada por unanimidade.

Mais lidas