Conecte-se conosco

Justiça

Vereador que matou prefeito de Naque por causa de terras é condenado a 17 anos

Publicados

em

O ex-vereador Marcos Alves de Lima foi condenado pela Justiça mineira a 17 anos e seis meses de prisão por matar o prefeito Hélio Pinto de Carvalho, conhecido como Hélio da Fazendinha. Ambos eram parlamentares em Naque, cidade que fica na região do Vale do Rio Doce e local onde o crime aconteceu. As informações são do jornal O Tempo.


O assassinato, conforme revelou a investigação, aconteceu por causa de disputa de terra. Os dois políticos teriam discutido depois que Marcos Alves, que tinha um terreno irregular, tentou construir uma saída do lote utilizando parte de um imóvel do Executivo, o que foi rejeitado pelo prefeito. Revoltando, o ex-vereador atirou no prefeito seis vezes. O caso aconteceu em julho de 2019.

Recentemente, o Tribunal do Júri de Ipatinga analisou o caso e concluiu que o ex-vereador é culpado. Após julgamento que durou 10 horas, ele foi sentenciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima.

O réu, que já está preso, pode recorrer da sentença, mas deverá aguardar o julgamento de eventual recurso recluso.

O crime

Segundo a denúncia do MPMG, no dia 13 de julho de 2019, o então prefeito de Naque estava vistoriando uma obra do município quando o ex-vereador se aproximou montado em um cavalo. Após conversa, os dois passaram a agressões verbais e físicas, até que o condenado retirou um revólver da pochete.

A investigação aponta que a vítima correu, mas foi atingida nas costas por dois disparos. Já caída, foi atingida por outros tiros disparados pelo ex-vereador.  O crime chocou a pequena cidade, que tem pouco mais de sete mil habitantes.

Mais lidas