Conecte-se conosco

DISCRIMINAÇÃO

Papai Noel é acusado de discriminação após fala sobre presente escolhido por criança

Publicados

em

Um homem que trabalhava como Papai Noel em um shopping, na Zona Sul da cidade de São Paulo, foi acusado de racismo contra uma criança de seis anos, na última sexta-feira (3/12). O homem teria desencorajado a escolha de presente do garoto afirmando que o item não “condizia com a realidade” dele. As informações são da Radio Itatiaia.


Em entrevista à Folha de S.Paulo, Tamires Silva de Oliveira, de 29 anos, que é também é mãe de outras três crianças, contou que levou os meninos para verem o Papai Noel no estabelecimento. Segundo ela, seu filho Cauã disse ao homem que queria um skate elétrico de presente de Natal. “Foi quando o Papai Noel disse de forma muito arrogante que aquele presente não condizia com a realidade dele”, disse Tamires ao portal.

A mãe, que é autônoma, compartilhou o relato nas redes sociais e contou que recebeu apoio e mensagens de indignação. Ela disse ainda que o Papai Noel perguntou para a criança quanto o pai ganhava por mês. “Ele, na inocência, respondeu R$ 100”, lembrou.

O filho mais velho de Tamires, de 12 anos, também teria dito que queria um celular e foi apenas respondido com um “esquece”, vindo do homem fantasiado. A mãe das crianças afirmou que começou a passar mal e teve uma crise de ansiedade. Ela conta ainda que não consegue dormir há dias devido ao episódio. “Eles acharam mesmo que o pedido seria realizado”, lamentou.

A autônoma disse que durante a conversa o Papai Noel ainda lhe perguntou se as quatro crianças eram seus filhos e se ela não tinha televisão em casa.

Em nota, o shopping Plaza Sul afirmou que lamenta o ocorrido e que o profissional já foi substituído. “A atitude do ator contratado por empresa terceirizada está completamente equivocada e não condiz de forma nenhuma com as orientações passadas pelo shopping”, informou.

A família contratou um advogado e pretende acionar o estabelecimento na Justiça.

Foto: imagem ilustrativa web

Mais lidas