Conecte-se conosco

Atualidade

Justiça é feita: Confira os detalhes bárbaros da execução do crime que chocou Nova Serrana

Avatar

Publicados

em

Na quinta-feira, dia 05 de setembro, durante o julgamento de Junio Dias dos Santos, Vinícius Carivaldo de Lacerda e Alex Junio Francisco, condenados pelo duplo homicídio de Itamar Lopes Santos e Ivanilda da Silva Dia dos Santos, a promotoria de justiça trouxe aos presentes detalhes e informações sobre um dos crimes mais chocantes da história de Nova Serrana.

Com detalhes cruciais que não deixaram aos presentes dúvidas sobre a autoria do crime, e todos eles embasados em provas a promotoria descreveu aos presentes com riqueza os fatos e cronologia dos homicídios consumados em 2015.

ABORDAGEM

Segundo apontou a acusação “Entre as 16h30 e 17h, quando Vinícius avistou que o veículo Toyota/Hillux conduzido por Itamar se aproximava,  momento em que o mesmo acenou com o braço para que a vítima parasse.

De acordo com o promotor “Itamar parou sem desconfiar de nada, momento em que Vinícius relatou a Itamar que sua moto havia ficado sem combustível e perguntou à vítima se ela poderia levar seu colega, (o condenado no julgamento) Alex (marronzinho), até a cidade. Com a concordância de Itamar, Alex ingressou no banco traseiro do veículo”.  Explicou o promotor.

No entanto mal sabia que a ajuda prestada custaria a sua vida e de sua esposa, pois além de Itamar, a vítima Ivanilda também estava no veículo, no banco do carona.

Pouco tempo após seguir seu caminho foi anunciado o assalto pelo condenado marronzinho. “Itamar, pouco tempo depois de seguir seu trajeto, percebeu que VINÍCIUS o seguia na motocicleta, fato que o motivou a questionar ALEX sobre a suposta falta de gasolina. Neste momento, Alex sacou a arma que portava, anunciou o roubo, pegou os celulares das vítimas e determinou que elas conduzissem o veículo até o Povoado de Areias, na estrada de terra que dá acesso a Leandro Ferreira, exatamente conforme previamente ajustado entre o mandante e os executores.” Apontou o promotor Dr. Alderico de Carvalho.

Tentando evitar que algo de mais grave ocorresse a vítima tentou argumentar com o condenado, contudo, percebendo o mal que estava por vir, dona Ivanilda iniciou sua prece, seguindo sua fé. “Durante o trajeto, a vítima Ivanilda dizia a ALEX que eles eram trabalhadores, momento em que Alex determinou que ela se calasse. A vítima Ivanilda, então, começou a rezar”.

EXECUÇÃO

Por parte do tempo, as vítimas acreditaram que se tratava de um assalto, contudo após Vinícius dar o sinal a execução aconteceu. “Em dado ponto da estrada, Vinícius emparelhou a motocicleta junto ao veículo e deu o sinal para que Alex executasse as vítimas. Com o veículo já parado na estrada de terra, próximo à fazenda Tabocas, Alex efetuou o primeiro disparo em Itamar. Ivanilda começou a suplicar para que Alex não matasse o marido dela, instante em que ele também disparou contra Ivanilda, antes de descer do veículo Alex efetuou mais 02 disparos em cada uma das vítimas”. Narrou o promotor.

Ainda segundo exposto no julgamento “após ter descarregado a arma nas vítimas, Alex desceu do veículo e disse a VINÍCIUS que o crime estava consumado e que havia efetuado três disparos em cada vítima. Neste momento Vinícius, não satisfeito com a barbárie já cometida, recarregou a arma e disse para Alex que ele tinha que “matar direito”. Com a arma recarregada, Alex voltou ao veículo e, mesmo tendo absoluta certeza que as vítimas já se encontravam sem vida, efetuou mais três disparos em cada uma”. Descreveu Dr. Alderico.

Por fim é importante ainda considerar que conforme disse o promotor, “partiu de Junio, filho do casal a ligação informando que aquele era o dia do crime. E ainda, ansioso com para saber o resultado do atentado Junio ligou para vinícius por 22 vezes após o horário no qual o crime foi cometido”, afirmou a promotoria.

  • Foto: Thiago Monteiro / O Popular

Mais lidas