Assim, o número de óbitos no Brasil sobe para 137. No fim da tarde de ontem, o Ministério da Saúde informou que 136 pessoas morreram no país por causa da pandemia. A estatística não levou em conta a vítima mineira.


Também no domingo, a Secretaria de Estado da Saúde informou que há pelo menos 28.783 casos suspeitos para Covid-19 em Minas.

família pede que governo respeite doentes

Familiares da idosa que morreu nesse domingo (29), no Hospital Biocor, em Nova Lima, região Metropolitana de Belo Horizonte e que testou positivo para o coronavírus, de acordo com o médico infectologista da unidade hospitalar, utilizaram as redes sociais para lamentar a perda.

Em uma postagem no Facebook, uma nora da vítima desabafou e desejou que ninguém tenha que passar o que a família dela passou nos últimos dias. “Espero que não tenham nunca que ficar em casa inerte, enquanto o corpo do seu familiar está sendo cremado sem que nenhum parente possa se despedir ou homenagear. Quanta tristeza, meus Deus!!!”, diz na publicação.

A vítima estava internada em isolamento e entubada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital. Ainda na publicação, a nora da vítima também pede que as pessoas que defendem o fim do isolamento social, com a justificativa de salvar a economia repensem a posição. “Reflitam, repensem, se coloquem no lugar de tantas famílias que estão passando o que a nossa família está passando. Respeitem a dor de tantas pessoas”, pede.

Ao final, pede respeito dos governantes às famílias de vítimas e envia uma mensagem de apoio ao ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Gostaria imensamente que os governantes fossem mais respeitosos com cada vida ceifada e sufocada pelo coronavírus. Sr. Ministro Mandetta se mantenha técnico e firme, não se deixa abater pela ignorância. Mais amor e empatia”, finalizou.

O caso

A primeira morte por coronavírus em Minas Gerais foi confirmada na noite desse domingo (29), pela médico infectologista do Hospital Biocor, Estevão Urbano.

Procurada pela reportagem, a direção do hospital respondeu, por meio de nota, que “por uma questão ética de sigilo e confidencialidade, não temos autorização para dar nenhuma informação ou apresentar qualquer dado referente à paciente”.

  • Fonte: Hoje em Dia e O Tempo