Conecte-se conosco

Governo Municipal

Veja o vídeo – Compra de votos: Documentos encontrados em gabinete de Osmar Santos apontam para novos crimes

Avatar

Publicados

em

Documentos encontrados em gabinete do vereador afastado Osmar Santos apontam para esquema de compra de votos em Nova Serrana

A situação dos vereadores de Nova Serrana, quanto aos seus afastamentos e possíveis crimes de peculato-desvio está cada vez mais séria e grave, isso porque o Ministério Público (MP) agora tem documentos que apresentam indicações de compra de votos por parte do presidente da Câmara Municipal, Osmar Santos (Pros) e ainda, um esquema nesse sentido está sendo investigado.

Segundo matéria divulgada pela TV Alterosa Centro-Oeste a promotoria encontrou indícios de compra de voto no gabinete do presidente afastado vereador Osmar Santos; nos documentos havia anotações de eleitores beneficiados com consultas, exames, empregos, inclusive quais iriam votar nele ou não nas próximas eleições.

Conforme informado, o Ministério Público analisou os documentos apreendidos no gabinete de Osmar Santos e encontrou indícios de mais crimes, em meio aos papeis encontrados no gabinete da presidência alguns documentos chamaram a atenção da promotoria de justiça.

Os documentos foram apreendidos durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão na câmara de Nova Serrana e nas casas dos vereadores e assessores na última semana, durante o desencadeamento da operação Kobold, realizada pelo MP.

Foram então encontrados vários formulários com pedidos de ajuda ao parlamentar e anotações sobre o fato do cidadão ser ou não eleitor de Osmar. Os documentos mostram inclusive que um dos eleitores teve o pedido de ajuda negado porque era ligado a outro candidato e foi até mesmo chamado de ingrato.

Na perspectiva do promotor de justiça, Dr. Ângelo Ansanelle, coordenador do Gaeco, as acusações são graves contra os edis. “Não só o vereador Osmar Santos, mas como os demais vereadores, parece que atendiam interesses particulares de pessoas que eram seus eleitores, e dependendo da época que isso foi feito, pode caracterizar captação ilícita de sufrágio que é crime eleitoral, além da questão de improbidade administrativa pela quebra do principio da impessoalidade”. Disse o promotor à equipe da TV Alterosa.

O MP ainda aponta que além de contratação havia um esquema na Câmara Municipal envolvendo principalmente a marcação de exames, consultas e até oferecimento de procedimentos médicos.

Os documentos apreendidos no gabinete do presidente apresentam vários casos nesse sentido, como o de uma mulher solicitando auxilio para conseguir um procedimento médico, teve o pedido negado, porque não vota no vereador Osmar Santos. Em outro documento uma solicitante foi chamada de ingrata e já em outra solicitação, de um homem que pedia para realização de uma vasectomia, as anotações apontavam “ok vai votar”.

Ainda de acordo com o entendimento da promotoria o vereador privilegiava as pessoas que eram seus eleitores. “Todos os vereadores não só aqui, mas em outros locais, eles promovem esse tipo de situação, eles se apartam da impessoalidade e passam a trabalhar pela pessoalidade. Eles passam a fazer favores muitas das vezes onerando o poder público, para quem eles bem intendem, sem algum tipo de triagem, sem qualquer tipo de verificação, sem avaliar se as pessoas realmente tem a necessidade”.

O MP acredita que a prática acontecia há bastante tempo, sendo agora averiguados quais os prejuízos ao erário, uma vez que os favorecimentos eram desde ajuda para procedimentos médicos, regularização de documentos e até doações de lotes.

Para continuidade das investigações servidores da Câmara já foram ouvidos pelo MP, para que as investigações tenham um maior entendimento sobre esse tipo de esquema, e para que possam ser aferidos se houve e quais os danos aos cofres públicos.

O promotor ainda aponta que “se houve essas doações de lote, de valores para consulta, queremos saber se foram atendidos e como foram atendidos, porque podem configurar além de crime de peculato, improbidade administrativa”.

Nota

Ainda segundo a matéria divulgada pela TV Alterosa, “em nota o advogado que representa os vereadores afastados, negou as acusações, e disse que ainda não teve conhecimento dos documentos apreendidos, e assim que tiver ciência dos detalhes desta acusação entrará em contato com a imprensa para que mais informações sejam repassadas”.

Fonte: TV Alterosa

Veja o Vídeo Reportagem TV Alterosa

 

Continue Lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas