Conecte-se conosco

Policial

Veja o vídeo: Bandidos de Divinópolis explodem agência bancária em Brumadinho

Avatar

Publicados

em

Em troca de tiros com a PM três assaltantes morrem e dois são presos

Uma agência bancária da Caixa Econômica Federal, de Brumadinho, foi alvo de uma ação de criminosos na última sexta-feira, dia 14 de agosto. Na ação três criminosos morreram após troca de tiros com a Polícia Militar (PM), e dois suspeitos foram presos.

De acordo com a PM, os criminosos explodiram caixas eletrônicos da agência localizada na rua Presidente Getúlio Vargas, no Centro da cidade. No entanto, o serviço de inteligência da polícia já tinha identificado que os homens haviam saído de Divinópolis para cometer o crime e surpreenderam o bando.

Houve intensa troca de tiros. Três assaltantes foram atingidos e morreram durante atendimento médico. Outros dois invadiram uma casa e fizeram três pessoas de uma família reféns. Após negociação, eles se entregaram e foram presos. Além da família, um homem foi feito refém no começo da ação criminosa, na noite passada.

Foi apreendido pelos policiais quatro pistolas, uma escopeta e um colete à prova de balas.

Bandidos eram de Divinópolis

Os militares receberam a informação de que a quadrilha, que é de Divinópolis, na região Centro-Oeste do Estado e já vinha sendo monitorada pelas autoridades locais, teria a intenção  de atacar uma agência bancária de Brumadinho, ainda na tarde de quinta-feira (13). A partir da informação, foi montado um esquema especial na cidade, que envolveu cerca de 60 policiais, inclusive com a participação do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

O tiroteio teria se iniciado quando os militares perceberam a movimentação suspeita na agência bancária. Em seguida veio a explosão dos caixas eletrônicos e os suspeitos iniciaram um tiroteio contra os policiais. No carro utilizado pelos criminosos também havia um refém.

“Suspeitamos que o local de encontro deles foi em uma zona rural da cidade de Itaguara, onde fizeram o assalto do veículo, com um refém. Inclusive utilizaram o refém durante a explosão dos caixas eletrônicos”, explicou o capitão. Na avaliação do militar, a inteligência dos militares durante o tiroteio foi um fator determinante para identificar que o quarto indivíduo no caro, na verdade era um refém.

De acordo com a Polícia Militar, todos os criminosos tinham histórico de envolvimento com o tráfico de drogas, homicídio, porte ilegal de arma de fogo e a prática de explosão de caixas eletrônicos. A ficha criminal mostra que os bandidos não estavam de brincadeira.

Durante a tentativa de fuga, dois criminosos invadiram uma casa, que fica a cerca de 500 metros do banco e fizeram uma família de refém – pai, mãe e filha – . Eles exigiram a presença da imprensa, para garantir que nada acontecesse com eles. Os dois se renderam cerca de duas horas depois de iniciada as negociações com a polícia.

“Um deles, o líder da quadrilha, foi preso há duas semanas. Havia uma mandado de prisão contra ele e ele foi preso em uma operação do Gaeco, da Polícia Militar, da Polícia Civil e passadas nem duas semanas ele já estava solto, na sociedade”, explicou o capitão Sales do 23º Batalhão de Polícia Militar.

Confira o vídeo da troca de tiros entre policiais e bandidos

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Fonte: Itatiaia / O Tempo

Mais lidas