Conecte-se conosco

Cidadania

“Setembro Amarelo” encerra com mensagem de conscientização e enfrentamento ao suicídio

Avatar

Publicados

em

Nova Serrana reduz em 75% índices de suicídio, contudo OMS aponta que por ano em todo o mundo cerca de 800 mil pessoas ainda acometem autoextermínio

O mês de setembro é marcado em todo mundo pelo enfrentamento de um problema que na maioria dos casos são ignorados e é sem dúvida um tabu social. No setembro amarelo o poder púbico e as instituições sociais focam seus esforços para a orientação e combate à prática do suicídio.

Tema que normalmente não é abordado pela mídia, devido a constatação de que, ao ser noticiado, os índices de ocorrências da prática tende a aumentar, os números de casos em todo o mundo apontam que o debate e abordagem correta é uma necessidade.

Segundo apresentado pelo Ministério da Saúde na última semana no Brasil, os números são preocupantes. Entre os anos de 2007 a 2016, 106.374 pessoas morreram em decorrência do suicídio, sendo que somente em 2016, a taxa foi de 5,8 por 100 mil habitantes.

De acordo com os números apresentados pelo governo federal, do total de ocorrências, 70% das tentativas de suicídio por intoxicação aconteceram com mulheres.

Os dados apresentados indicam que há iniciativas para reunir mais informações e ampliar os projetos de valorização da vida e de discussão sobre saúde mental são necessárias.

Seguindo as perspectivas da Organização Mundial da Saúde (OMS), foi estabelecida uma meta de redução em 10% os casos de mortes por suicídio até o ano de 2020.

 Ações bem sucedidas

As ações desenvolvidas no enfrentamento dão resultado e Nova Serrana é uma das provas de redução dessa prática.

Na cidade projetos sociais, grupos de debates, abordagem orientada, palestras e outras ações são desenvolvidas e os resultados podem ser vistos na redução dos índices.

De acordo com os dados da Polícia Civil entre os meses de janeiro e agosto 2017 foram registrados sete atentados contra a própria vida, já em 2018 no mesmo período quatro atentados constam nos autos da Polícia, ou seja uma redução de 75% dos registros de suicídio.

Durante todo o ano de 2017 foram registrados em Nova Serrana 14 atentados, e a expectativa e empenho das forças de segurança e da secretaria municipal de saúde é para que esses índices mantenham-se em baixa no decorrer do ano.

Segundo a secretária Municipal de Saúde, o problema vem sendo enfrentado com dialogo e participação social. “Entendemos que precisamos ficar atentos, conversar e orientar, dar atenção para o nosso próximo e não somente no mês de setembro, mas durante todo o ano, precisamos  sermos mais humanos e ajudar, muitas vezes apenas ouvindo quem está perto de nós, fazendo isso estamos ampliando a possibilidade das pessoas que estão fragilizadas a ponto de atentarem contra a própria vida, de perceberem que são importante e que o suicídio não é a opção correta”, disse a Glaucia Sbampato.

Sbampato ainda destaca que as ações desenvolvidas durante todo o mês de setembro pela Secretaria Municipal de Saúde, não são para resolver o problema, mas para desperta na sociedade a consciência de que todos estamos sujeitos e devemos nos dedicar e a enfrentar esse mal juntos. “Não temos a pretensão de que nossas ações resolvam a situação dessa infeliz prática, mas temos o objetivo de abrir os olhos da sociedade e mostrar que todos somos fundamentais no combate ao suicídio.  Todos estão sujeitos a isso e todos nós somos responsáveis por enfrentar esse problema social”. Finalizou a secretária.

 Setembro amarelo

No último dia 25 de setembro foi realizada uma passeata de conscientização que encerrou as atividades da campanha Setembro Amarelo em Nova Serrana, que este ano adotou o tema “Falar é a melhor opção”. Durante um mês, diversas ações foram realizadas em escolas, praças públicas e nas unidades Caps do município.

As ações orientadas pela Secretaria Municipal de Saúde tiveram início no dia 5 de setembro, quando o Caps II Novo Ser promoveu a atividade ‘Valorização da Vida’, que contou com oficina de beleza voltada para os pacientes atendidos pelo serviço.

Já nos dias 11, 18 e 25, o CAPS Ad realizou o grupo de promoção social, com sala de espera abordando a temática da prevenção ao suicídio.

Foi ainda realizadas atividades nas escolas de ensino médio, como Maria Zeli, Major Agenor e Padre Lauro, e no dia 20, a Comissão Intersetorial da Saúde do Trabalhador e Trabalhadora (CISTT) realizou uma ação com os servidores do setor de Obras, com corte de cabelo, orientações odontológicas, aferição de pressão, vacinação, palestra e outros serviços.

Além dessas atividades todas as unidades de saúde realizaram ações direcionadas ao Setembro Amarelo.

Enfrentamento

Segundo indica alguns estudiosos cerca de 90% dos suicídios são evitáveis. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o suicídio acomete mais de 800 mil pessoas, em todo o planeta e ainda, é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos em todo o mundo

Segundo apontado pelo Ministério da saúde no Brasil, em 2015, o suicídio foi a quarta causa de morte nessa mesma faixa etária, e ainda os dados apontam que o maior índice de suicídio está entre os homens (79%), mas a maior incidência de tentativa de suicídio está entre as mulheres.

Engajado no combate ao suicídio, o Brasil está entre os países que assinaram o Plano de Ação em Saúde Mental 2015-2020 lançado pela OMS. Segundo apurado esse plano de ação foi desenvolvido para acompanhar o número anual de mortes em cada país e o desenvolvimento de programas de prevenção.

É importante ainda ressaltar que aqueles que atualmente existe disponível para a população o Centro de Valorização a Vida. Através do 188 (ligação gratuita) é prestado o serviço de apoio emocional e prevenção do suicídio. O Atendendo é voluntário e gratuito, todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo podem acionar o serviço pelo telefone 188, email e pelo chat 24 horas disponível no site https://www.cvv.org.br/chat/.

Mais lidas