Conecte-se conosco

Governo Estadual

SAMU paga salário de Janeiro, mas dívida do Estado permanece e fornecedores seguem sem pagamento

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) anunciou nesta segunda-feira que o pagamento do salário integral de todos os colaboradores, referente a janeiro de 2019.

O Anunciou se tornou um alivio para os servidores que temiam pelo atraso dos pagamentos devido ao atrasos dos repasses do Governo do Estado, que contando com janeiro, já somam cinco meses e meio sem recebimento da Secretaria de Estado de Saúde. “Temos esperança e fé que a equipe do governo poderá fazer pagamento de forma regular. Agradeço aos prefeitos e gestores municipais que não mediram esforços para que pudéssemos liberar a folha na data de hoje. Cabe a cada um de nós mantermos o compromisso com a otimização dos recursos em favor da vida”, disse o coordenador e secretário executivo do Cis-URG Oeste José Marcio Zanardi.

Ainda segundo o coordenador o benefício do vale alimentação será repassado posteriormente e novamente agradeceu ao apoio do executivo dos municípios que compõe o consórcio. “O vale alimentação será liberado assim que possível, nos próximos dias. Mais uma vez, manifesto minha gratidão e do Conselho Dos Prefeitos a toda equipe administrativa e assistencial pelo excelente trabalho que o CIS-URG Oeste presta à população”, informou José Marcio Zanardi .

O anuncio traz alívio para com a situação dos servidores mas, não sana os problemas vivenciados pelos administradores do consórcio, isso porque a dívida de R$ 8 milhões por parte do Estado deixa ainda em aberto uma grande preocupação, pois não há verba para pagar fornecedores e encargos sociais.

Segundo Zanardi, os problemas vivenciados e os atrasos com os fornecedores põe em risco a sustentabilidade do serviço, uma vez que serão geradas multas dos encargos sociais, juros de fornecedores, o que começa gerar juros em cima dívida, agravando a situação financeira. “Esperamos que nos próximos dias a Secretaria de Estado de Saúde possa dar uma posição positiva em relação ao pagamento dos atrasados e inicie o pagamento de 2019, liberando a parcela de janeiro. Acredito no esforço da equipe do governo Zema, contudo, se não houver nenhum um pronunciamento, teremos que adotar medidas que poderão afetar os serviços”, conclui o secretário executivo do CIS-URG Oeste, José Márcio Zanardi.

Leia mais...
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Mais lidas