Conecte-se conosco

Bom Despacho

Programa de crédito ajuda MPE em Bom Despacho

Publicados

em

A crise gerada pela pandemia de Covid-19 impactou fortemente os micro e pequenos negócios. Com os períodos em que as atividades ficaram suspensas, muitos empresários perderam a capacidade financeira de manter as empresas funcionando plenamente. Em Bom Despacho, o impacto foi grande e a economia da cidade sente os efeitos negativos. As informações são do Dário do Comércio


Para estimular a retomada dos setores, a prefeitura criou o Programa Pra Frente BD, que irá conceder crédito e carência de 12 meses. A estimativa é de que sejam desembolsados cerca de R$ 6 milhões para os empreendedores.

Através do programa de crédito, microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenos empresários e autônomos terão acesso ao empréstimo com os juros do primeiro ano subsidiados. A carência de 12 meses é considerada importante para dar fôlego e permitir a retomada dos negócios.

De acordo com o prefeito de Bom Despacho, Dr. Bertolino da Costa Neto, a iniciativa tem o objetivo de ajudar os empresários a saírem da crise gerada com a pandemia de Covid-19.

“Os autônomos, MEIs, micro e pequenos empresários foram os que mais sofreram com o fechamento das atividades econômicas para conter o avanço da Covid-19. Eles são os maiores geradores de empregos e estão sofrendo com o fechamento dos negócios, enfrentando extremas dificuldades e endividamento das empresas com pagamento de salários e fornecedores. Vimos a dificuldade e achamos importante criar um programa que ajude o empresário a superar este momento de crise e continuar ativo, gerando empregos, renda e movimentando a economia do município”, explicou.

Através de estudos e levantamento feitos em Bom Despacho, a prefeitura desenvolveu o Programa Pra Frente BD. O financiamento aos empresários será feito pela Credesp ou Credibom.

Ao longo do primeiro ano, os juros serão subsidiados pela prefeitura, que pagará R$ 1 milhão para as cooperativas de crédito. No período, os empresários não pagarão nenhuma parcela e, com isso, é esperado que os empreendedores consigam recuperar a eficiência dos negócios. A partir do 13º mês, os tomadores do crédito deverão pagar o valor contratado à vista e sem juros ou dividido em até 24 vezes com juros girando em torno de 1,2% ao mês. Cada empreendedor pode acessar até R$ 15 mil pelo programa.

“Acreditamos que, neste intervalo de 12 meses e com os recursos disponibilizados, os empresários vão conseguir reorganizar os negócios. Os setores mais afetados foram o comércio e a prestação de serviços. É importante que a prefeitura trabalhe ajudando na recuperação. Vamos disponibilizar crédito a taxas acessíveis e criamos um fundo com recursos da prefeitura para pagar o primeiro ano de juros”.

A estimativa é de atender cerca de 700 micro e pequenos empresários e autônomos do município.

De acordo com o prefeito, as operações de crédito já começaram e, até o dia 11 de fevereiro, cerca de 100 empresários já tinham acessado os recursos. “A economia de Bom Despacho depende muito dos micro e pequenos empresários, que são os que mais empregam e movimentam a economia”.

Os recursos poderão ser utilizados para fluxo de caixa, pagamento de dívidas com fornecedores, compra de matéria-prima, entre outros. O empresário que tiver o pedido de crédito aprovado passará por um curso rápido, on-line, de quatro horas, oferecido pelo Sebrae, gratuitamente. O curso é de gestão financeira e crédito consciente. Será concedido certificado, que é exigido para a liberação do recurso.

Mais lidas