Conecte-se conosco

Minas

Prejuízos com chuvas já somam R$ 4,3 bilhões em Minas Gerais

Publicados

em

Em apenas três meses, os prejuízos causados pelas chuvas em Minas Gerais já chegam a R$ 4,3 bilhões, segundo levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM).  As informações são do jornal O Tempo.


Este valor bilionário inclui diversas áreas, como agricultura, pecuária, indústria, comércio, ensino, serviços, abastecimento água, esgoto, limpeza urbana, transporte e segurança pública.

Para se ter uma ideia da dimensão do desastre em Minas Gerais, no mesmo período, entre outubro de 2021 e esta quinta-feira (13), os prejuízos em todo Brasil chegaram a R$ 11,1 bilhões.

Ou seja, 38,7% dos danos ocorreram em Minas Gerais.

Ao comprar com a Bahia, também castigada pelas chuvas, o prejuízo no Estado vizinho foi de R$ 2,1 bilhões até o momento.

O analista técnico da área de Defesa Civil, Johnny Amorim, afirmou em apresentação na CNM que “os desastres que o Brasil mais tem problemas são chuva e seca. Os demais, em geral, não são tão recorrentes”.

“Em 2020, a seca representou um prejuízo de R$ 62 bilhões em todo Brasil. E o governo federal tem dificuldades de repassar esses recursos para os municípios afetados. E, às vezes, os munícipios não conseguem nem um centavo do governo. Às vezes os municípios resolvem sozinhos os problemas”, disse Amorim.

Ele afirmou ainda que, apenas em 2020, as chuvas causaram prejuízos de cerca de R$ 10 bilhões. Valor já ultrapassado nos últimos três meses.

Amorim disse ainda que a situação atual é ainda pior devido a crise causada pela pandemia da Covid-19, o que dificulta ainda mais ações e respostas para atender os municípios.

Minas registra 29 mortes e mais de seis mil casas danificadas ou destruídas

Neste período de chuvas torrenciais, 6.323 casas foram danificadas ou destruídas pela força da água em todo Estado.

Com 29 mortes registradas, Minas tem hoje 6.888 desabrigados e 29.949 desalojados. A Bahia registrou 26 mortes até o momento.

Afetados diretamente ou indiretamente, já são quase 528 mil pessoas.

Mais lidas