Conecte-se conosco

Cidade

Onda Roxa: Prefeitura estuda implantação de barreiras sanitárias em pontos específicos de Nova Serrana

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O Governo de Nova Serrana pretende intensificar a fiscalização no município quanto as medidas determinadas pela Onda Roxa do Minas Consciente. As diretrizes para tal objetivo já foram determinadas em decreto municipal que ratifica a implementação da Onda Roxa em todo o estado de Minas Gerais, conforme imposto pelo Governador Romeu Zema (Novo).


Em coletiva concedida pelo prefeito Euzebio Lago, na tarde da última quarta-feira, 17 de março, o gestor de Nova Serrana falou sobre as ações e fiscalização das medidas contidas no decreto.

“O governo do estado, o comitê deliberou e publicou isso (decreto onda roxa), quero crer que todas as cidades foram pegas de surpresa, porque é fazer uma operação quase que de guerra e não tem como acontecer da noite para o dia. A ordem do Governador do Estado é que o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar sejam co-participantes. O papel da Polícia Militar (PM) é manter a ordem pública e criar situações para mitigar o combate nesse momento. Já reunimos com a Vigilância Sanitária e vamos estar a partir de amanhã (quinta-feira) aplicando o decreto, que prevê suspensão de alvarás e multas e outras situações”. Disse Euzebio Lago.

Ainda na coletiva o prefeito ressaltou que existe a avaliação do município quanto a implementação de barreiras sanitárias na cidade, mas que tal medida é inviável de ser feita em pontos de entrada da cidade, mas sim em locais específico de grande circulação.

“Estamos em uma cidade que tem mais de 12 entradas e saídas, cidades menores que tem poucas entradas é mais fácil de fazer barreira sanitária. A Dra. Fernanda (procuradora de Nova Serrana) subentende que a barreira sanitária não precisa de estar nas entradas, mas pode estar em vários pontos da cidade, estamos analisando isso, para que em vários pontos possamos controlar isso e ver a questão da temperatura e essa questão do comportamento das pessoas ao longo da cidade ”. Disse o prefeito.

Mais lidas