Conecte-se conosco

Colunistas

O quarto elemento!

Léo Junqueira

Publicados

em

Li com muita atenção o texto do colunista Osvaldo de Évora que inaugurou sua coluna neste jornal na última sexta-feira e que abordou “Em terra de Paulo e Joel, vale até Papai Noel”.

Quem vivencia a política de Nova Serrana sabe que a cidade mudou muito após a primeira eleição de Paulo César de Freitas. Ele foi eleito com apoio, quase unanime, do empresariado da época. A administração do então prefeito avançou, criou novos espaços junto ao poder político estadual e se consolidou como uma nova liderança política na cidade.

Da mesma forma, minha lembrança encontra na eleição de Joel Martins os mesmos princípios que envolveram Paulo Cesar, quando o então jovem empresário, com o apoio do empresariado e do governo Paulo César se consolidou como sucessor de uma linha política moderna e comprometida com o desenvolvimento econômico, estrutural e social de Nova Serrana.

Pouco importa as diferenças entre os dois governantes, que ao contrário do que se esperava, tornaram-se opositores por questões meramente pessoais e a cidade viu o plano inicial de “construção” de uma nova e duradoura política cair por terra. Talvez as duas lideranças tenham se perdido entre vaidades e divergências familiares e até históricas. Mas a questão se cristalizou de tal forma, que amizades antigas terminaram e rancores se afloraram.

Nova Serrana é uma cidade diferente pelo seu alto índice de migrantes, que no rastro de políticas públicas dos dois prefeitos, alcançou a titularidade de “cidade que mais cresce em Minas”. Paulo modernizou Nova Serrana e deu ao município uma espécie de “cara nova” para novos tempos. Joel acompanhou a tendência e valorizou mais o lado social criando melhores condições no atendimento de necessidades da população.

Os dois, através de formulas diferentes, deram à Nova Serrana, melhores condições para as perspectivas e a qualidade de vida. Porém, nenhum dos dois percebeu que a realidade havia mudado, com uma população com menores raízes familiares e maiores interesses econômicos refletidos na criação de fábricas e no comércio mais ativo.

Sem querer contar “historinhas” às quais ainda estamos presos, surgiu um novo gestor vindo de votos de protestos ao continuísmo, que se invertia a cada eleição. Euzébio Lago é o prefeito, que literalmente caiu de paraquedas na cadeira do chefe do executivo e suas ações preliminares foram além da compreensão do “lamentável”, quando usando de velhas artimanhas populistas criou uma nova forma de fazer política.

De falso faxineiro de escola a fiscal de coisa alguma, Euzébio conseguiu fazer o milagre de frustrar apoiadores de Paulo e Joel e mais: seus próprios eleitores.

Ao ler o artigo publicado neste O Popular, fiquei pensando no que acreditamos ser possível, quando a politica cede lugar à razão, à consciência, ao respeito e à responsabilidade. Vejo a falta desta percepção na população, que ainda vive de um passado que nunca voltará ou de expectativas que nunca serão concretizadas. Paulo e Joel fazem parte de um passado. Euzébio de um presente indigesto e que poderá tornar o retorno a nunca esquecida esperança por dias melhores.

Ainda não sabemos claramente as intenções do “quarto elemento” dessa história: deputado Fábio Avelar. Porém, como diz o ditado, o jogo é jogado e o Lambari é pescado!”

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

JORNAL O POPULAR – A NOTÍCIA COM DEVE SER

LEONARDO VELOSO JUNQUEIRA é daqueles publicitários da época romântica, quando a comunicação ainda era feita com base no talento criativo. Foi sócio fundador da Insight Comunicação durante 22 anos prestando serviços de comunicação e marketing a grandes empresas, como Pastifício Santa Amália, Riclan (fabricante do Pircóptero e drops Freegell’s), Cera Inglesa, Calçados Jacob (Kildere), Café Brasil, Balas Santa Rita entre outras grandes empresas que fizeram histórias de sucesso. Trabalhou em grandes agências de publicidade em Minas e na área política, como publicitário, assessorou as prefeituras de Uberlândia, Varginha e Divinópolis além de desenvolver e coordenar inúmeras campanhas políticas, das quais destacamos a eleição de Zaire Rezende (Uberlândia), Maurinho Teixeira (Varginha), Paulo Tadeu (Poços de Caldas), Galileu Teixeira (Divinópolis), Paulo César (Nova Serrana), Toninho André (São Gonçalo do Pará) além de vários deputados estaduais e federais. Léo Junqueira é consultor de marketing, compositor, violeiro, escritor e colunista do Jornal O Popular

Mais lidas