Conecte-se conosco

Colunistas

AVISO AOS NAVEGANTES: “- PÉ FIRME E MÃO NA VELA…”

Léo Junqueira

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Esse foi o título do material publicitário elaborado para o Iº CAMPEONATO ABERTO DE WINDSURF realizado no grande lago de Furnas no início dos anos 80 na sede do Balneário Furnastur. O título foi uma criação do meu amigo Mauro Chico, à época diretor de criação da minha agência – Insight Comunicação e Propaganda – que tinha como cliente o Clube Náutico Formiguense.


Meus amigos, a crise energética que o país vive hoje parecia ter sua premonição já naquela época. A represa, com seu volume d’água 9 vezes maior que a baia da Guanabara, mostrava uma exuberância fantástica e a região recebeu centenas de empreendimentos turísticos para atender a demanda que crescia em toda a região.

Hoje estamos vivendo uma crise prenunciada e São Pedro não tem colaborado muito com a situação de longas estiagens e secas constantes, assim como o assoreamento das nascentes, os desmatamentos, as queimadas criminosas e o descaso de autoridades. Fato: a crise energética é mundial e está se agravando.

Não temos tempo para resolver o problema apenas com obras e a implantação de novas usinas que atenuem a crise. Estas medidas são demoradas e exigem estudos profundos de impacto ambiental para não resolver um problema criando outros.

O primeiro passo é construir, literalmente, uma consciência mais responsável sobre o problema e o que podemos fazer. Economizar energia e entender que a dita “bandeira vermelha” que aumenta substancialmente o valor das contas de luz é uma necessidade indigesta para custear as usinas termoelétricas que produzem uma energia de alto custo, porém de fundamental importância nesse momento.

O problema não é mais político, quando um lado critica e o outro pouco resolve. Todos os governos anteriores definiram como prioridade de gestão a ampliação da capacidade geradora de energia e um exemplo disso é a Usina de Belo Monte, totalmente nacional. Boa parte da solução está na nossa atitude e podemos ajudar muito.

“Pé firme e mão na vela”. Este é o recado. Aguentar com serenidade a crise firmando os pés para não cair em problemas maiores. E mão na vela, para iluminar de forma lúdica um ambiente ou fazer orações para que as chuvas possam transbordar nossos reservatórios.

Observando os dados das agências e empresas do setor de energia elétrico é possível perceber que a população cresceu e no rastro do crescimento veio o aumento do acesso à energia elétrica em todo o país. O Brasil já dispõe de fontes alternativas, como a energia solar, a energia eólica entre outras que de forma (mesmo que embrionária) começam a mostrar saídas inteligentes para a crise. A economia é a palavra de ordem independente das propostas que devem surgir através dos “heróis e palpiteiros” da crise, comuns em momentos como este.

Nosso país tem uma população que supera os 220 milhões de habitantes. Uma população que cresceu mais rapidamente que a capacidade de implantação de infraestrutura para atender uma nação com proporções continentais. Agora pouco importa se recursos foram mal utilizados ou a falta de um planejamento eficiente nos condicionaram ao risco de racionamento.

“Pé firme” quer dizer, cada um faça sua parte por mais simples que possa parecer. “Mão na vela” é bem mais que um argumento publicitário de quem criou a comunicação para o referido campeonato citado acima. O certo é que precisamos da ajuda de pessoas desse mundo e do outro… Nem que seja com as orações para todos os santos, que não estão apenas na baia deles, quem sabe, em repouso.

LEONARDO VELOSO JUNQUEIRA é daqueles publicitários da época romântica, quando a comunicação ainda era feita com base no talento criativo. Foi sócio fundador da Insight Comunicação durante 22 anos prestando serviços de comunicação e marketing a grandes empresas, como Pastifício Santa Amália, Riclan (fabricante do Pircóptero e drops Freegell’s), Cera Inglesa, Calçados Jacob (Kildere), Café Brasil, Balas Santa Rita entre outras grandes empresas que fizeram histórias de sucesso. Trabalhou em grandes agências de publicidade em Minas e na área política, como publicitário, assessorou as prefeituras de Uberlândia, Varginha e Divinópolis além de desenvolver e coordenar inúmeras campanhas políticas, das quais destacamos a eleição de Zaire Rezende (Uberlândia), Maurinho Teixeira (Varginha), Paulo Tadeu (Poços de Caldas), Galileu Teixeira (Divinópolis), Paulo César (Nova Serrana), Toninho André (São Gonçalo do Pará) além de vários deputados estaduais e federais. Léo Junqueira é consultor de marketing, compositor, violeiro, escritor e colunista do Jornal O Popular

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas