Conecte-se conosco

Editorial

O circo já começou, falta apenas o pão!

Publicados

em

Respeitável público começou nesta quinta-feira, dia 14 de junho, o maior espetáculo da terra.

Muita pompa, muitas autoridades mundiais, astros e estrelas, em meio a autoridades e famosos de todo o mundo se fazem presentes em 30 dias onde o mundo esquece as mazelas que o assolam.

Na solenidade de abertura não faltaram atrativos, tiveram gesto obsceno de cantor famoso, porém não tão obsceno quanto o que acontece com a população durante esse período.

O show foi iniciado, e sua repercussão é tão grande que o pão é deixado de lado, ou seja, caro leitor, o básico, o necessário é esquecido por alguns dias, e durante esse tempo não tem mais importância.

Com a copa as ocorrências policiais começam a vir cada vez mais brandas e em menor número, e isso deve acontecer porque os bandidos querem assistir aos jogos e vivem momentos de paz. E claro, alguns outros problemas sociais também são minimizados.

Durante a copa ninguém lembra que o diesel abaixou, mas a gasolina continua alta nas bombas, os caminhoneiros não fazem mais barulho além de buzinar pelo gol do Neymar, e enquanto isso, os donos de posto e principalmente o governo usam e abusam dos preços aplicados pelos combustíveis.

O barulho nas ruas não é de protesto, e sim de festa, afinal temos muito a comemorar, nossa economia está estável, temos uma educação de qualidade, a saúde é exemplo e por aqui programas habitacionais e sociais são abundantes e eficientes.

Por falar em programas habitacionais, será que durante a copa a prefeitura vai fazer a retirada de algum invasor, será que os bravos e até mesmo em alguns momentos autoritários (já que ficam falando com os moradores que se não ficarem quietos durante a desocupação darão a ordem de prisão por desacato), vão deixar de ver os dribles de Coutinho para derrubar barracos em áreas invadidas?

E por falar em farra, pelo que ouvimos dizer algumas festas estão acontecendo pela câmara, e apesar de não ser com banda e comida, a festa está relacionada ao gasto do dinheiro público que tem ido para o ralo, mas a que isso importa, já que o Brasil está entrando em campo.

Quem tem tirado o time de campo, no entanto é a prefeitura, que tem um monte de cacique, porém que não colocam a cara a tapa, e ao prefeito gostaríamos de lembrar que se o Tite não trouxer a copa, algum culpado terá que aparecer, e ai, as lambanças cometidas pelas secretárias pela cidade a fora colocarão as cabeças a prêmio, e se a coisa seguir o exemplo do futebol, o chefe da casa será responsabilizado.

Sobre as lambanças temos que afirmar que aquele jogador que não busca o jogo durante a copa acaba sendo sacado, o problema é que na prefeitura a omissão é como cada folha de grama nos campos de futebol, a exemplo disso a resposta vaga e sem nenhum conteúdo dado a esse popular sobre o projeto 029/2018, que foi aprovado na câmara municipal.

A pior postura que um técnico pode ter diante de um impasse em seu elenco é se omitir e não se posicionar publicamente diante do conflito, e aqui temos um conflito de interesse sendo claramente pontuado pelos vereadores, o que foi aprovado, e agora será “vetado” (prevendo o futuro afirmamos que uma entre 32 seleções será a campeã mundial), mas qual o problema de se posicionar quanto a isso? Esse seria até o momento ideal, afinal durante o show, nada mais importa.

O problema é que o ritmo de copa já toma a cidade, e o discurso politicamente correto do futebol está na boca dos políticos, ou melhor, de parte deles afinal, Osmar partiu para a pancada nessa semana, o que nos resta saber é se ele não vai se aproveitar do fato dos holofotes estarem virados para a Rússia, e costurando pela beirada ele não abaixará as armas e assinará (sabe-se lá a qual preço), o acordo de trégua com o executivo.

Finalizando caro leitor, queremos lembrar a você que, o circo foi montado, contudo o pão ainda não está na mesa, a festa não pode ser feita, sem a comida, e apesar de você ficar focado no maior espetáculo do mundo por 30 dias, nos resta lembrar que uma hora o espetáculo acaba, e ai pode ser tarde para você perceber que a fome (suas necessidades sociais), não serão sanadas antes de outubro, quando um novo show acontece, mas nesse não somos a plateia e sim os fantoches.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas