Conecte-se conosco

Saúde

Nova Serrana é a quinta entre as maiores de Minas em incidência de Dengue

Publicados

em

Cidade registra segundo maior índice de casos de dengue da região centro-oeste entre as cidade com população superior a 50 mil habitantes e risco é considerado muito alto pela Secretaria Estadual de Saúde

Foi divulgado na última semana o relatório parcial de índice de infestação e dengue em Minas Gerais, e de acordo com os números da Secretaria Estadual de Saúde, Nova Serrana é a quinta cidade em Minas Gerais em índice de casos notificados de dengue.

O relatório aponta as cidades de Minas baseado nas incidências de casos por população. Assim sendo Nova Serrana é a 5ª cidade entre os municípios com mais de 50 mil habitantes com mais casos de dengue notificados.

Segundo o relatório, até a primeira semana de junho a cidade registrava 684 casos de dengue, obtendo assim um índice de infestação de 761,19, baseado em uma população de pouco mais de 89 mil habitantes, conforme divulgado no site do IBGE.

Com esses números, Nova Serrana atingiu o segundo maior índice de incidências de registro do Centro Oeste Mineiro, ficando atrás de Lagoa da Prata, que obtém a terceira pior média do Estado, com 649 casos, para uma população pouco mais de 50 mil habitantes.

Dessa forma apesar de obter índices melhores do que os de Lagoa da Prata, Nova Serrana contabiliza na totalidade o maior número de incidências de casos entre os principais municípios da região.

Números Gerais

De forma Geral sete cidade em Minas Gerais com população superior a 50 mil habitantes estão com índice de casos considerados pela Secretaria Estadual de Saúde como muito altos.

A primeira colocada é Coronel Fabriciano, seguida por Ubá, Lagoa da Prata, Janaúba, Nova Serrana, Timóteo, Ituiutaba e Coronel Fabriciano.

A cidade de Timóteo tem registrado 2.326 casos notificados para uma população de pouco mais de 109 mil habitantes, seguindo temos Ubá com 1.693 casos para 111 mil pessoas, em quarto Janaúba registra, 916 casos para uma população de aproximadamente 70.800 habitantes.

O sexto colocado é Timóteo com 562 casos e uma população de aproximadamente 87.500 pessoas e em sétimo Ituiutaba com 615 casos notificados e população de aproximadamente 103 mil pessoas.

Dados reais

Na última semana foi repassado pela Secretaria Municipal de Saúde que os números de Nova Serrana podem ser piores, isso porque a cidade contabiliza nos registros internos, ou seja que ainda não foram atualizados pela secretária estadual, cerca de 720 casos de dengue.

Seguindo esses números o percentual de incidência do município, pula para 797,02, o que não muda o local que a cidade ocupa no ranking, contudo, expõe que a situação merece uma atenção ainda maior.

Outro fator que chama a atenção para os índices da dengue no município é o fato de que devido a greve dos caminhoneiros, e dificuldade nos insumos básicos, o relatório LIRAa que estaria marcado para os últimos 15 dias foi prorrogado e está sendo realizado com atraso, seguindo orientação da Gerencia Regional de Saúde.

O que está sendo feito

De acordo com a responsável pelo setor de epidemiológico, Katiuscia Francisca, a secretaria vem desenvolvendo um trabalho de orientação com as famílias em Nova Serrana.

Segundo Katiuscia esse trabalho ocorre nas unidades de saúde e eventos sociais do município. “A Secretaria está atenta a situação e vem fazendo um trabalho educacional com a população, essas ações de orientação acontecem prioritariamente nas unidades de UBS, PSF e também em eventos como ruas de lazer, tendo como parceira a Secretaria de Serviço Social”, disse Katiuscia Francisca.

Já a secretária Municipal de Saúde, Glaucia Sbampato, lembra que um efetivo especial foi contratado para auxiliar no combate a dengue e outras endemias. “Temos que ressaltar que o quadro com que atuávamos precisava de um reforço para combater o risco de uma epidemia, assim contratamos mais 30 profissionais para intensificarem o combate à proliferação do Aeds Aegypt e ainda, realizamos a aplicação do inseticida através do carro, popularmente conhecido como fumacê”, lembra a secretária.

Glaucia pondera ainda que a população necessita de entender o seu papel nesse processo. “o grande problema é que ainda encontramos muitos focos de proliferação do mosquito transmissor da doença dentro das residências, nos quintais das casas, nas áreas descobertas, o poder público tem feito seu papel, mas a população precisa de entender que sem a cooperação deles é impossível combatermos a epidemia, pois a proliferação do mosquito transmissor continua”, finalizou a secretária.

Chikingunha e zika vírus

Ainda segundo as informações concedidas pela Secretaria Municipal de saúde foram constatados aqui em Nova Serrana  apenas 4 casos de chikungunya e 6 casos de Zika vírus, o que dispensa qualquer tipo de suspeita quanto a surto ou aumento do número de casos das duas doenças.

Contudo a Secretaria reforça que ambas as doenças assim como a Febre Amarela, são transmitidas pelo mesmo mosquito transmissor da dengue, o que reforça a necessidade do combate e extermínio dos focos de proliferação da doença.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas