Conecte-se conosco

Belo Horizonte

Mulher é assassinada por companheiro após ser mantida em cárcere privado

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Na última segunda-feira, dia 22 de fevereiro, uma mulher que era mantida em carcere privado foi assassinada pelo próprio companheiro. O crime aconteceu no bairro Flávio Marques Lisboa, região do Barreiro, na grande BH.


Segundo informado , a vítima foi identificada como Clenilda Alzira da Silva, com idade de 45 anos, já o suspeito, companheiro da mulher, foi preso em flagrante e identificado com idade de 45 anos.

Conforme divulgado, o crime foi descoberto pelos policiais após um colega de trabalho ter passado na casa da vítima para dar carona, contudo a mulher não apareceu. Suspeita apontam que a vítima estava mantida em cárcere privado.

De acordo com a Polícia o colega de trabalho da vítima passava todas as manhãs na casa da vítima para os dois irem juntos ao trabalho, contudo, na segunda-feira (22), a mulher não apareceu como combinado.

O amigo então seguiu para o trabalho se por volta de 10h30 mandou mensagens perguntando se estava tudo bem. De acordo com os policiais os textos foram visualizados, porém não foram respondidos.

Já no início da tarde, a vítima realizou uma ligação para o amigo e disse que estava bem e que ajudava a mãe a arrumar as coisas para viajar.

Por sua vez o amigo de trabalho suspeitou dos fatos, por ter estranhado a voz  da vítima e então procurou à Polícia Civil.

Diante da denúncia, os policiais foram até a casa da mulher na rua Faisão e foram recebidos pelo suspeito que se apresentava claramente exaltado.

Na abordagem os policiais foram questionados se eles tinham mandado para entrar na residência. Em seguida o suspeito correu para dentro de casa. Os policiais ouviram gritos da vítima e o suspeito voltou para a varanda e disse: “podem entrar que ela já está morta”.

Os agentes arrombaram o portão e a porta da cozinha e algemaram o homem. O celular da mulher foi encontrado no bolso do suspeito.

Dentro da residencia Clenilda foi encontrada caída no chão e foi socorrida para o Hospital Júlia Kubitscheck, também no Barreiro. Ela foi atendida, mas não resistiu e morreu no local.

O suspeito foi preso e segundo informado, o casal vivia junto desde agosto de 2020.

Mais lidas