Conecte-se conosco

ASSÉDIO MORAL

Loja que conferia peso de funcionária vai pagar indenização de R$ 10 mil

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região manteve a condenação de uma loja de bijuterias na cidade de Muriaé, na Zona da Mata, que obrigava uma vendedora a perder peso, para poder ganhar R$ 200 como gratificação no fiml do mês.


De acordo com a decisão a loja terá que pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 10 mil reais.

O caso ocorreu entre janeiro de 2019 e junho de 2020. Segundo o TRT, a sentença foi mantida em segundo grau, mas como a empregadora possui uma microempresa, e o capital social é equivalente a R$ 10 mil, a Justiça diminuiu o valor da indenização de R$ 50 mil para R$ 10 mil.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o TRT informou que a loja de bijuterias ainda não realizou o pagamento da indenização para a vendedora.

De acordo com a assessoria, se não houver recurso para o TST, o processo entra na fase de execução.

Relembre o caso

A vendedora de 26 anos passou quase um ano e meio sendo submetida a uma situação vexatória: subir na balança e mostrar ao chefe que havia perdido peso. Para receber parte da remuneração, a profissional tinha metas de emagrecimento estipuladas pelo patrão, que chegavam a cinco quilos por mês.

“Para atingir as tais metas, ela ficava sem comer e até vomitava algumas refeições. A proximidade da data de pagamento passou a gerar pânico, virou uma tortura. Durante o período em que trabalhou na loja, D. chegou a emagrecer, mas não foi um emagrecimento saudável. O custo à saúde mental foi muito grande”, relata a advogada Grazielle Berizonzi, defensora da vendedora.  *Estagiária sob supervisão do subeditor João Renato Faria

Fonte: EM –  MSN

Foto: Arquivo Pessoal

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas