Conecte-se conosco

Divinópolis

Cartórios registram 1º semestre com mais óbitos da história de Divinópolis

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O novo coronavírus vem devastando a vida de milhares de famílias e só em Divinópolis já foram 568 vítimas fatais. O alto número de óbitos pela doença somados aos óbitos gerais tem alterado drasticamente a demografia de uma forma nunca vista desde o início da série histórica dos dados estatísticos dos Cartórios de Registro Civil da cidade em 2003. O fato resulta ainda na menor diferença já vista entre nascimentos e óbitos nos primeiros seis meses do ano.


Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil, base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do país e foram divulgados pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen)Os números foram cruzados com o estudo Estatísticas do Registro Civil, promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base nos dados dos próprios cartórios brasileiros.

“O Portal da Transparência vem sendo usado por toda a sociedade para ter um retrato fiel do que tem acontecido no munícipio neste momento de pandemia”, explicou Gustavo Renato Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil.

Divinópolis

Em números absolutos os cartórios de Divinópolis registraram 1.135 óbitos até o final do mês de junho. O número, que é o maior da história em um primeiro semestre, é 47,4% maior que a média histórica de óbitos na cidade e 70,6% maior que os ocorridos no ano passado, com a pandemia já instalada há quatro meses no município. Já com relação a 2019, ano anterior à chegada da pandemia, o aumento no número de mortes foi de 67,9%.

Em relação aos nascimentos, Divinópolis registrou, até o final do mês de junho, 1.494 nascimentos, número 6,3% maior que a média de nascidos no município desde 2003, mas 0,2% menor que no ano passado. Com relação a 2019, ano anterior à chegada da pandemia, o número de nascimentos caiu 7%.

O resultado da equação entre o maior número de óbitos da série histórica em um primeiro semestre e o ligeiro aumento de nascimentos da série no mesmo período é o menor crescimento vegetativo da população em um semestre na cidade, o que aproxima, como nunca antes, o número de nascimentos do número de óbitos.

A diferença entre nascimentos e óbitos que sempre esteve na média de 635 nascimentos a mais, caiu para apenas 359 em 2021, uma redução de 43,5% na variação em relação à média histórica. Em relação a 2020, a queda foi de 56,85%, e em relação a 2019 foi de 61,48%.

“Os números mostram claramente os impactos da doença em nossa sociedade e possibilitam que os gestores públicos possam planejar as diversas políticas sociais com base nos dados compilados pelos Cartórios”, completou Gustavo Renato Fiscarelli.

Natalidade e Casamentos

Embora não seja a regra, a série histórica do Registro Civil demonstra que o aumento no número de casamentos está diretamente ligado ao aumento da taxa de natalidade em Divinópolis, o que deve fazer com que os nascimentos não demorem muito a serem retomados, já que no primeiro semestre de 2021 o município registrou o primeiro maior número de casamentos desde o início da série histórica.

O primeiro semestre de 2021, em Divinópolis, apresentou aumento de 15,8% no número de matrimônios em relação à média história, desde 2003, e mostra também uma boa recuperação em relação às celebrações do ano passado, fortemente impactadas pela chegada da pandemia que adiou cerimônias civis em virtude dos protocolos de higiene necessários à contenção da doença.

Até junho deste ano os Cartórios celebraram 446 casamentos civis, número 82,8% maior que os 244 matrimônios realizados no ano passado, e ainda 11,8% maior que os 399 casamentos celebrados em 2019.

Sobre a Arpen-Brasil

Fundada em setembro de 1993, a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) representa a classe dos Oficiais de Registro Civil de todo o país, que atendem a população em todos os estados brasileiros, realizando os principais atos da vida civil de uma pessoa: o registro de nascimento, o casamento e o óbito.

 

Fonte: G1 Centr0-Oeste

Foto: Luna Funerária

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

JORNAL O POPULAR – A NOTÍCIA COM DEVE SER

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas