Conecte-se conosco

Editorial

A síndrome do ex!

Avatar

Publicados

em

Quando um homem vai se casar e seu pai lhe fala que o relacionamento durará para sempre, o homem pensa que a licença poética da afirmativa dizia respeito ao fato de que o amor dos dois será para sempre.

Na verdade o que o pai queria dizer para o filho é que tanto pelo lado bom, quanto pelo lado ruim, a relação deixa marcas que causaram consequências para o resto da vida.

Se pararmos para pensar, uma ex-esposa é capaz de criar um vínculo que interfere diretamente na vida do parceiro. Para a maior parte dos procedimentos judiciais a certidão de separação tem que ser apresentada. Até para um novo casamento o relacionamento anterior tem que ser passado a limpo.

Caso a ex tenha ainda um filho como fruto da relação a situação, ou melhor, as algemas, a prisão é ainda mais intensa, afinal o vínculo se torna diário, semanal e com isso, os atritos, as dificuldades, parte daquilo que você se dispôs a largar para traz permanece presente em sua vida.

As marcas, as feridas, os segredos e confissões também fazem parte desta relação, e estes por sinal promovem uma dependência que caminha em uma linha tênue entre confiança e chantagens.

Quando vemos a política, percebemos que essa relação de ex, é tão próxima, tão semelhante a de um casamento que chega a nos assustar.

Começando do âmbito federal, a lei do ex fez com que Palocci abrisse o bico, fez com que as delações premiadas causassem estragos, e isso aconteceu simplesmente porque Lula e seu staff deram as costas para seus relacionamentos passados, mas esqueceram que os mesmo são também de confiabilidade.

Lula foi parar na cadeia, porque não entendeu que o seus ex-secretários, que aqui entendemos que são como suas muitas esposas, que por terem segredos guardados e terem sido, “traídos”, ou melhor, abandonados, deram com a língua nos dentes, e agora, o senhor ex-presidente vê o sol nascer quadrado todos os dias, porque não teve tato para tratar a situação.

A situação vivenciada pelo ex-presidente deve ser estudada com maior carinho pela atual gestão de Nova Serrana. A máquina foi inchada, e sem o cuidado necessário, cabeças foram tiradas em desacordo, em atritos, em situações pertinentes.

Secretários saíram pelas portas dos fundos, alguns apresentando clara insatisfação e tivera até mesmo negócios pessoais prejudicados pela forma como foi conduzido a situação pela prefeitura. Outros simplesmente se viram desprestigiados quando foram colocados no bolo do baixo clero, onde seu conhecimento técnico passou a ser desvalorizado e foi então jogado aos porcos, sendo colocado juntamente com as decisões politiqueiras.

Se olharmos para a Câmara, boa parte dos atritos políticos se deu porque o executivo não soube tratar com os seus, que posteriormente se tornaram oposição e que agora, já não se tem mais lado, apenas desconfiança de tudo que transita de um lado para o outro da política municipal.

Partindo dai temos ainda o Procon, que agora também é alvo de denúncias, em momento pertinente diga-se de passagem. E aqui lembramos, um ex é letal, principalmente quando ele é coordenador de campanha, principalmente quando ele é colocado no meio político como agente e não como partidário.

A prefeitura tem atirado para vários lados, parece que depois de dois anos de pauladas aprendeu a realizar denúncias no Ministério Público, aprendeu a agir na prerrogativa da justiça.

O que o executivo não pode esquecer é que a justiça é cega, Lula que o diga. Ela não avalia o nome de quem apresenta o crime, ela apenas apalpa, julga e impetra a lei que for necessária, e partindo dai, os ex sempre tem uma vantagem, porque eles não mais estão nos holofotes, eles não tem mais o que perder, eles não tem mais nada, além do desejo de mostrar em última instância o quão relevantes eles eram em suas confidencialidades, para fazer com que seu companheiro continue de pé.

Continue Lendo
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Mais lidas