Conecte-se conosco

Câmara Municipal de Nova Serrana

Vereador afirma que centro cirúrgico do Hospital Santa Mônica em Nova Serrana não está fechado

Publicados

em

O centro cirúrgico do Hospital Santa Mônica em Nova Serrana não está fechado, a afirmativa foi dada pelo vereador Dué (PSD), durante a 38ª reunião ordinária da Câmara Municipal de Nova Serrana.


As falas do vereador se deram, devido a um áudio que foi amplamente divulgado nas redes sociais, onde uma Popular questionava uma informação recebida por um conhecido ex-funcionário do hospital, que indicava o fechamento do centro cirúrgico e do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade.

Diante da repercussão do áudio, Dué afirmou que esteve no Hospital Santa Mônica, conversou com os gestores da unidade que garantiram que o bloco cirúrgico está em pleno funcionamento, inclusive que têm sido negociados junto a Secretaria Municipal de Saúde, procedimentos a serem realizados em Nova Serrana.

“O centro cirúrgico continua funcionando normalmente, inclusive o hospital vem negociando com a secretaria de saúde sobre a realização de cirurgias”.

Dué, no entanto confirmou que o áudio divulgado tem sua parcela de verdade já que, conforme informado pelo edil, realmente a unidade do CTI do Hospital Santa Mônica em Nova Serrana está fechada.

“O CTI está temporariamente fechado, devido à demanda que está muito baixa. Fica em média R$ 450 mil o custo mensal, do CTI ele trabalhando ou não, por esse motivo está temporariamente desativado, mas conforme foi explicado a unidade pode ser reativado amanha, se necessário”. Informou o parlamentar.

Outra polêmica relacionada a instituição está relacionada ao fato de não ser aceito no hospital o plano de saúde da Unimed, o que segundo Dué está prestes a ser resolvido. O parlamentar também informou que atualmente o grupo que é proprietário do Hospital em Nova Serrana conta com 13 unidades em todo o Estado.

“Sobre a questão da Unimed, a expectativa é que no início do ano já esteja consolidado os contratos com a Unimed, porque é interesse do hospital o funcionamento. Eu também recebi as informações de forma positiva, as pessoas falavam e tinha a conversa de que era somente Nova Serrana e Divinópolis que o Plano Saúde Vida poderia atender, então vi que tem 13 cidades que tem hospital, principalmente Belo Horizonte”.

Funcionalidade ou devolução ao município

A construção do Hospital Santa Mônica em Nova Serrana se deu após o município ceder o terreno para edificação da unidade. Como contra partida foi destinado o valor do terreno em prestação de serviço para pacientes da capital do calçado, de acordo com regulação.

Contudo conforme informado pelo vereador Willian Barcelos (PTB), a situação deve ser acompanhada de perto já que, conforme consta na cessão aprovada, caso o hospital não esteja atendendo o imóvel deverá ser devolvido ao município.

“Não vem atendendo dentro da nossa expectativa o Hospital Santa Mônica, que foi adquirido pelo grupo Notre Dame. Nós temos que verificar se aquela estrutura de fato entrou em operação dentro das bases do contrato, porque me recordo muito bem, que caso não entrasse em operação uma certa estrutura o edifício seria alvo de reversão ao município, então se não houve a entrada em operação de toda a estrutura prevista em contrato, o imóvel deve ser revertido ao município”.

Seguindo Willian Barcelos ainda destacou que talvez seja a hora do município começar a cobrar o cumprimento do contrato.

“Ninguém é obrigado a assinar um contrato, mas se fosse à prefeitura que não estivesse cumprindo sua parte, ela estaria sendo apertada, então talvez seja a hora de nós também apertarmos o outro lado, e nesse sentido temos a comissão de saúde, que pode solicitar a copia do contrato que foi feito, a lei municipal, a própria secretaria, para que isso não continue sendo alvo de questionamentos”.

Por fim o vereador salientou que “os questionamento passaram a ter grande fundamento a partir do volume de pessoas que tem reclamado e da natureza da reclamação. Pessoas que não tem relação política estão reclamando pela falta do serviço a ser oferecido na medida que se esperava”. Finalizou o vereador.

Mais lidas