Conecte-se conosco

Economia

Prefeitura de Itaúna autoriza retorno das atividades das revendedoras de veículo, clínicas de estética e papelarias

Avatar

Publicados

em

Uma nova portaria publicada pela Prefeitura de Itaúna nesta quinta-feira (2) e permite que revendedoras de veículos, clínicas de estética e papelarias retomem os trabalhos na cidade, desde que estejam de acordo e sigam as normas de prevenção do novo coronavírus.

De acordo com o Executivo, essa nova portaria é um complemento do documento que foi publicado nesta quarta-feira (1º), sobre o funcionamento do comércio e templos religiosos na cidade.

Segundo a Prefeitura, as novas determinações terão validade até segunda-feira (6), podendo ser prorrogadas se necessário. As medidas fazem parte das ações do Comitê de Enfrentamento à Covid-19. Há quase duas semanas o comércio na cidade está sob restrição de funcionamento.

Determinação

Ficam autorizadas a funcionar, com restrições, observadas as demais regras previstas na portaria nº 7, evitando-se aglomeração e desde, que haja a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), além da disponibilização de álcool gel, sabonetes e toalhas descartáveis nos banheiros limpeza de superfícies e equipamentos de uso comum os seguintes estabelecimentos:

  • Revendedoras de veículos (carros e motocicletas), especialmente as que comercializam autopeças e/ou as que possuem oficina mecânica;
  • Clínicas de estética, desde que para atendimento individualizado, preferencialmente por agendamento; e, papelarias.

Suspensão de alvarás

  • Casas de shows e espetáculos de qualquer natureza;
  • Boates, danceterias, salões de dança;
  • Casas de festas e eventos;
  • Feiras, exposições, congressos e seminários;
  • Cinemas e teatros;
  • Clubes de serviços (Lions, Rotary, Casa da Amizade, Maçonaria e outros) e de lazer;
  • Academias, centros de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico;
  • Clínicas de estética;
  • Parques de diversão, circos, parques temáticos e parques municipais;
  • Autoescolas;
  • Financeiras não vinculadas ao Sistema Financeiro Nacional;
  • Ambulantes em espaço público.

Fonte: G1

Mais lidas