Conecte-se conosco

Policial

Bom Despacho: Polícia Civil investiga estelionato praticado por falso policial

Israel Silveira

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Bom Despacho, região Centro-Oeste do estado, apresentou, nesta sexta-feira (24/9), o resultado da investigação de crimes de estelionato supostamente praticados por um homem de 44 anos. Até o momento, foram identificadas 34 vítimas em 24 cidades mineiras. Conforme apurado, o suspeito aplicava os golpes ao negociar cargas diversas, usando nomes de funcionários públicos, especificamente de policiais civis.


As investigações tiveram início em junho deste ano, a partir de uma denúncia. Segundo o relato da vítima, uma pessoa, se apresentando como policial civil, teria vendido a ela uma carga de MDF, sob o argumento de que a equipe teria que apreender o caminhão, mas precisaria descartar o carregamento. A vítima, então, efetuou um depósito de R$ 1,7 mil.
Com a identificação do suspeito, a PCMG em Bom Despacho representou pela prisão preventiva do investigado, que foi deferida pela Justiça e cumprida por policiais civis no dia 19 de agosto, em Lagoa Santa, Região Metropolitana. “Em depoimento, o homem confessou alguns de seus crimes consumados e tentados, e ter se passado por servidor público como forma de assegurar credibilidade e êxito em suas ações”, revela o delegado responsável, Rodrigo Eduardo de Noronha.

O golpe

Ainda segundo Noronha, o investigado aplicava golpes usando nomes de policiais civis. Ele procurava dados de policiais e, valendo-se das informações, oferecia produtos que supostamente estariam apreendidos e seriam vendidos.

“O suspeito ligava para as vítimas, alegando que haviam apreendido um caminhão e que a carga (gesso, MDF e outros) precisava ser retirada para que o veículo fosse encaminhado ao pátio de veículos credenciado pelo Detran-MG (Departamento de Trânsito de Minas Gerais). O investigado convencia os comerciantes a adquirir o material, que não poderia ser vendido legalmente”, conta o delegado.

Dessa forma, as vítimas iam até a delegacia, conforme informado pelo suspeito, e chegando na unidade policial se davam conta de que haviam caído em um golpe. Levantamentos indicam que o homem chegou a fazer vítimas nas cidades de Abre Campo, Bom Despacho, Caeté, Conceição do Mato Dentro, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Corinto, Curvelo, Diamantina, Divinópolis, Entre Rios de Minas, Governador Valadares, Itabira, Ipatinga, Juatuba, Matipó, Matozinhos, Nova Lima, Ouro Branco, Patos de Minas, Santa Luzia, Sete Lagoas e Uberaba.

As investigações, conduzidas pela Delegacia de Polícia Civil em Bom Despacho com apoio da PCMG em Lagoa Santa, continuam, a fim de confirmar o envolvimento do suspeito em outros crimes e identificar novas vítimas.

A apresentação do investigado à imprensa foi comunicada ao Ministério Público local e se deu em razão da necessidade de obtenção de novas denúncias e participação da sociedade na apuração do delito.

Cartilha

Com o objetivo de apresentar à população os principais golpes cometidos por criminosos, a Polícia Civil disponibiliza a cartilha “Golpe, só se for nos criminosos” – clique AQUI .

 

Mais lidas