Conecte-se conosco

Editorial

Pimenta nos olhos dos outros é refresco!

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Há mais ou menos 8 anos atrás Euzebio Lago ocupava a cadeira maior da Câmara de Nova Serrana. O agora chefe do executivo ocupava uma cadeira no legislativo municipal, presidia a casa, administrava os recursos e até mesmo construiu a bela sede do legislativo que hoje comporta os vereadores da cidade.

Euzebio sempre foi um político de discurso arrojado, sempre demonstrou ideias além dos pontos de vista minimistas que eram vivenciados na política da cidade, tinha um olhar responsável e de forma exemplar administrou cada centavo do legislativo e a construção da sede dos vereadores.

Em seu discurso Euzebio tinha a convicção de afirmar que um prefeito deveria administrar a cidade com uma verba adicional limitada, e que uma boa gestão trabalhava com planejamentos.

Nas ideias levantadas pelo presidente os subsídios de crédito adicionais não poderiam ser superiores a 4%, porém em seu primeiro ano de gestão o mesmo recebeu 17,5% para governar a cidade que mais cresce em Minas.

O discurso, no entanto, que foi emitido inclusive em palanques políticos agora se virou contra o gestor, e tendo vista pela insatisfação dos vereadores da base o prefeito terá dificuldades em administrar o seu próprio remédio (para não dizer veneno) em 2019.

O prefeito terá que pedir benção aos vereadores e em sua maioria da oposição, para que tenha verbas adicionais, e essa medida pode ter sido ocasionada pelo fato do então prefeito fazer frente a oposição, não sancionando leis e quem sabe,  pelo fato de ainda não ter iniciado a realização das famosas emendas impositivas, ou se começou ainda não contou aos quatro cantos da cidade.

Mas o veneno, se assim podemos chamar não fica aqui limitado ao prefeito, uma vez que os vereadores também têm tropeçado em suas próprias línguas, afinal fazer oposição, bater na mesa e criticar a gestão é muito fácil, porém, difícil é ter conduta que alente e direcione o caminho certo a ser seguido.

Para ilustrar o que estamos dizendo vamos trazer apenas dois pontos em questão. O primeiro trata sobre o discurso administrativo coerente e responsável da presidência.

Ora em breve traremos nesse Popular as ponderações de Pr Giovane (MDB) ex-presidente da casa, que expôs na última reunião extraordinária que os gastos da casa atualmente, comparados a 2017, não caracterizam necessariamente o que se entende por boa administração.

Se for seguir em questão os números que temos, e algumas denúncias que temos recebido, a coisa anda farta para os falsos ricos da Câmara que tem recebido R$ 2mil, R$ 3 mil como subsídios por seus serviços.

E se criticam cabide de emprego mais uma vez questionamos, o que o senhor José Iris Saldanha faz na casa do legislativo? Pra falar a verdade como secretário de esporte já não fazia nada de efetivo, quem trabalhava era o staff da secretaria, quem planejava era o staff dele que hoje por sinal é o competente secretário de esporte.

Saindo do cabide de emprego, a presidência denunciou em plenário que atualmente o executivo tem gasto R$ 4 milhões com aluguel de veículo. Diante dessa afirmativa nosso Popular já até entrou em contato com setor de comunicação pedindo esclarecimentos sobre esse assunto e divulgaremos aqui o posicionamento do executivo nas próximas edições.

Contudo em meio às emendas da LDO que eram votadas na última reunião ordinária o que é encontrado. Justamente uma emenda que determinava aluguel de veículo para os vereadores de Nova Serrana.

O projeto que era de autoria de mesa diretora, quase foi aprovado meio que despercebido, até que um santo que não se revelou deu o grito e a vice-presidente, que apesar de ser uma das autoras do projeto, pois faz parte da mesa diretora, afirmou que não sabia da pauta e retirou a mesma por não concordar com o tema.

Não houve debate sobre o assunto, quem manda ali é quem tem o poder, contudo, vale lembrar aos vereadores da oposição, que tem feito um bom trabalho diga-se de passagem, tem que tomar maior cuidado para não caírem na própria língua.

Afinal bater no coleguinha e cometer o mesmo pecado é algo próximo da imoralidade, e é sempre bom lembrar que estamos a apenas dois anos do próximo período eleitoral, e os estragos feitos agora, vão sem dúvida respingar em todos, dentro de algum tempo, por isso é bom que se entenda que pimenta nos olhos dos outros não deve ser vista como refresco.

Leia mais...
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Mais lidas