Conecte-se conosco

Carmo do Cajuru

“Operação Purple Haze” é deflagrada em combate ao crime organizado no Centro-Oeste Mineiro e Região Metropolitana de BH

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Nesta terça-feira, dia 15 de dezembro, foi deflagrada na cidade de Divinópolis, a “Operação Purple Haze”. A ação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), regional de Divinópolis, com os apoios da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Penal.

Segundo informado a imprensa, a “Operação Purple Haze” tem o objetivo de combater o crime organizado referente aos crimes de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, delitos patrimoniais e outras infrações penais, registrados na região Centro-Oeste de Minas Gerais e Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

De acordo com informações repassadas em coletiva, nesta manhã foram cumpridos:

  • 12 mandados de prisão preventiva
  • 13 mandados de prisão temporária
  • 31 mandados de busca e apreensão.

Conforme repassado foram ainda determinadas medidas de constrição patrimonial, como sequestro e arresto de imóveis, veículos e outros bens móveis, além de bloqueio de contas bancárias.

Como resultado da operação foram ainda apreendidas armas de fogo, drogas, veículos, aproximadamente R$ 280 mil em dinheiro, joias e objetos relacionados às práticas criminosas (aparelhos de telefone celular, tablets, computadores, recibos de transações financeiras e documentos diversos).

Os trabalhos aconteceram nas cidades de:

  • Divinópolis
  • Itaúna
  • Carmo do Cajuru
  • Cláudio
  • Mateus Leme
  • Belo Horizonte
  • Betim
  • Ribeirão das Neves
  • Entre Rios de Minas
  • Esmeraldas

Investigações

De acordo com o Gaeco, ao longo de sete meses, foram realizadas investigações que apontaram para uma intensa articulação criminosa organizada, sendo constatado divisão de tarefas, distribuição e venda de drogas em larga escala, além da utilização de laranjas e movimentação financeira de grande porte.

Foi também informado que o grupo criminoso era liderado por dois indivíduos, sendo que um deles já está preso, e cumpre pena no Complexo Penitenciário Nélson Hungria, de onde exercia parte do comando das atividades ilícitas.

Por fim foi informado que a Operação Purple Haze contou com a participação de três promotores de Justiça, oito agentes do Gaeco, 124 policiais militares, 20 policiais civis, 12 policiais penais, com um total de 41 viaturas e uma aeronave.

Confira abaixo a entrevista coletiva:

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas