Conecte-se conosco

Calçados

Mulheres que constroem o setor calçadista

Publicados

em

Maiores consumidoras de calçados no mundo, as mulheres também têm papel fundamental na construção do setor calçadista brasileiro. Atuando em todos os níveis, elas respondem por cerca de 50% dos empregos e ocupam 33% dos cargos de liderança na atividade. E o índice, conforme percepção dos calçadistas, vem aumentando nos últimos anos.


A coordenadora de Promoção de Imagem da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados,) Alice Rodrigues, destaca que, embora o setor ainda seja “masculino”, essa é uma realidade que vem mudando gradativamente. “Dentro da própria Abicalçados, hoje temos uma equipe feminina que responde por 70% do quadro de colaboradores. O mesmo ocorre em diversas entidades representativas”, conta.

Força feminina
Com 164 funcionários, sendo 45% mulheres, a Ferricelli, de Franca/SP, tem na força feminina, inclusive em cargos de liderança, um mote do seu desenvolvimento. Janaína Rezende, gestora de Exportação da empresa, iniciou sua carreira no setor calçadista em 1999, após conclusão do curso superior em Comércio Exterior. “Sempre busquei estudar a área de comércio internacional, especialmente diante da importância da exportação para a minha cidade – Franca, o principal polo de calçados masculinos do País -, que sempre foi inovadora no quesito”, conta.

Segundo ela, há 23 anos, o setor calçadista era muito mais masculino. “Nos últimos anos, presenciamos mudanças grandiosas para as mulheres, que cada vez mais conquistam espaço nas diversas atividades. É uma evolução da humanidade, mas ainda temos muito o que conquistar”, avalia Janaína, para quem a relação com a atividade do calçado é de amor. “Não me vejo trabalhando ou exercendo outra atividade na minha vida”.

Personalidade detalhista
Trabalhando diretamente na produção de calçados no grupo Danper, de Nova Serrana/MG, Franciele Cechinatto, é responsável pelo acabamento dos produtos. “Eu gosto de exercer esse trabalho que faço, principalmente porque é muito gratificante quando você vê alguém calçando um produto que passou pelas suas mãos”, afirma. Franciele, que se diz muito detalhista, conta que a atividade casa com a sua personalidade, o que criou um vínculo ainda maior com o trabalho de acabamento dos produtos. Empresa em crescimento no polo calçadista mineiro, a Danper possui 82 funcionários, sendo 35 mulheres (43%).

Realização pessoal e profissional
Realizada profissional e pessoalmente atuando no segmento calçadista, a diretora Comercial e de Exportação no grupo Parô Calçados, de São João Batista/SC, Schirley Booz Sa, começou sua carreira em 1997. Schirley é uma das mulheres do quadro de colaboradores da calçadista que tem 222 funcionários e a presença feminina representa quase 60%. Com passagem por outras empresas do polo catarinense, sua atuação, inclusive, levou a um convite do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/SC), para o qual ela gerencia projetos com pequenas empresas do cluster local. “Quando iniciei minha carreira no calçado, a mulher era muito discriminada. Não foi fácil ser mãe, esposa e gerente comercial, viajando mais da metade do meu tempo”, recorda, lembrando que, na época, ainda sofria com o julgamento por ser uma das poucas mulheres nos grupos de viajantes para feiras nacionais. “Hoje, vejo que a mulher vem ganhando o seu espaço no mercado, não somente de calçados. É muito bom ver esse reconhecimento, mas temos que saber que os elogios são degraus para sempre buscarmos mais espaço”, avalia Schirley.

Maior força do mundo
Referência no mercado de calçados casuais masculinos, a Pegada, de Dois Irmãos/RS, tem na força feminina parte importante da sua posição de destaque. Com um total de mais de 3,7 mil colaboradores, as mulheres representam 46% do quadro de funcionários da fabricante. Uma delas é Márcia Birk, que atua há mais de três décadas na atividade e atualmente ocupa posição no setor de produção da Modelagem da empresa. Mãe de trigêmeas, Márcia tem a “jornada dupla”, realidade de muitas mulheres nas mais diversas atividades. Segundo ela, apesar de não ser tarefa fácil, é gratificante. “Todas as empresas nas quais trabalhei até hoje são do setor calçadista. Nos 21 anos dentro da Calçados Pegada passei por diversas funções em setores diferentes. Quando penso nisso, passa um filme de toda a minha trajetória dentro da indústria, em um trabalho que gosto e me dedico muito”, conta, ressaltando a admiração que tem por mulheres guerreiras, “a maior força do mundo”.

Galgando espaços
No polo calçadista de Jaú/SP, a Mariotta tem 273 colaboradores. Destes, 154 são mulheres, o que representa 56% do quadro de funcionários. Uma delas é a coordenadora de Recursos Humanos da empresa, Eliani Maria Mareschachi, que destaca a facilidade multitarefas das mulheres, bem como o capricho com o trabalho. Vinda do ramo de metalurgia, a coordenadora está desde 2017 na Mariotta. “Gosto muito de trabalhar com o setor calçadista pelo dinamismo, pelos desafios”, diz. Segundo ela, a presença feminina vem crescendo no setor, apesar de ainda existir um caminho a ser percorrido. “Aqui na empresa, além de mais de 50% de todo o corpo de funcionários ser feminino, temos cargos de liderança ocupados por mulheres. Estamos conquistando cada vez mais espaço”, acrescenta.

Depoimentos
“Mulher, nunca desista do que você sonha e busca. O setor calçadista é de muitos ensinamentos e aprendizados. Quero deixar aqui, em nome da equipe Ferricelli, um Feliz Dia da Mulher, hoje e sempre” –
Janaína Rezende, gestora de Exportação da Ferricelli

“Mulher é muito mais que apenas um gênero. É ter desafios diários e força para ultrapassá-los! A cada dia estamos conquistando o nosso espaço perante a sociedade. por isso, gostaria de parabenizar todas as mulheres do setor” – Franciele Cechnatto, colaboradora do setor de acabamentos do grupo Danper

“Mulheres busquem seu ideal, busquem aprender sempre! Vocês são especiais! Acreditem sempre e tenham um feliz Dia das Mulheres” – Schirley Booz Sa, diretora comercial e de Exportação da Parô Calçados

“Quero parabenizar todas as mulheres, principalmente aquelas que trabalham no ramo calçadista, pelo seu Dia. Mulheres com garra, esforçadas e determinadas, que permanecem nove horas por dia se dedicando ao seu trabalho e que ainda se dedicam à sua casa. Toda a minha admiração por essas mulheres que, sem perder a delicadeza, são a maior força do mundo” – Márcia Birck, colaboradora do setor de Modelagem da Calçados Pegada

“A mulher vem conquistando cada vez mais espaço em todas as profissões. Sabemos que existe um gap, mas que ele vem diminuindo. A mulher tem mais facilidade no trabalho multitarefa, além de ter mais cuidado com os detalhes” – Eliani Maria Mareschachi, coordenadora de Recursos Humanos da Mariotta

Mais lidas