Conecte-se conosco

Justiça

MP vai apresentar denúncia contra candidatos que sujaram as ruas nas eleições municipais

Israel Silveira

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Em Nova Serrana uma recomendação foi repassada pela Promotora Eleitoral, Dra. Maria Tereza Diniz Alcântara Damaso, com o intuito de evitar o descarte de material eleitoral impresso nas ruas da cidade, principalmente em frente as zonas eleitorais.


A recomendação, no entanto não foi acatada por boa parte de candidatos a vereadores, e o que se viu no dia da eleição foram santinhos de vários candidatos sujando as portas dos locais de votação e ruas do município.

Diante da constatação do fato, o Ministério Público (MP) irá apresentar na justiça uma denúncia contra os candidatos a vereador que usaram de tal pratica, podendo ser determinado uma multa para os candidatos sujões.

Segundo apurado junto a promotoria, foi fotografado no dia das eleições as portas dos locais de votação com a maior incidência de material impresso descartado. O intuito da promotoria é por meio das fotos, apresentar a justiça eleitoral denúncia contra os candidatos que jogaram uma maior quantidade de santinhos e papeis nas ruas.

De acordo com a promotora eleitoral, caso a denúncia seja acatada pela justiça pode ser determinada multa. Conforme apurado o valor a ser determinado na penalidade pode chegar a R$ 8 mil por candidato.

É importante ressaltar que descartar santinho nas ruas no dia da eleição configura propaganda irregular, além de ser crime ambiental e crime eleitoral, desdobra-se de uma interpretação conjunta da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97) e da Resolução TSE nº 26.610.

Ainda segundo a promotora a comprovação do material descartado foi feito pessoalmente por ela, sendo também feitas as fotografias dos locais de votação, que serão anexadas às denúncias como comprovação da infração, para que a questão seja apresentada a justiça, que caso acate a denúncia tomará as devidas medidas, podendo assim estabelecer a multa contra os denunciados.

É importante ainda ressaltar que a lista dos candidatos que serão denunciados até momento não foi divulgada.

Legislação

Conforme disposto na Lei das Eleições 9.504/97, artigo 39, parágrafo 5º, inciso 3º, o chamado “derramamento de santinhos” configura propaganda eleitoral irregular. Ainda que realizado na véspera do pleito.

Caso ocorra no dia e horário da eleição, o descarte de material gráfico também pode ser enquadrado como crime de boca de urna, afirma o professor de Direito Eleitoral da Universidade de Fortaleza, Marcelo Roseno.

“O fato de não haver contato com o eleitor é irrelevante. No dia da eleição, não pode haver divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos ou candidatos. No caso, o derrame é feito com a finalidade de burlar a regra proibitiva, e, em razão disso, mesmo quando feito na véspera do pleito, é punível”.

Caso o crime seja comprovado, o responsável – seja candidato, eleitores ou membros da coligação – será obrigado a pagar uma multa, cujo valor pode variar de R$ 2 mil a R$ 8 mil. A lei também determina o recolhimento do material.

Já o crime de boca de urna é punível com detenção de seis meses a 1 ano, além de multa no valor de R$ 5.320,50 a R$ 15.961,50. Quanto a essa prática, vale lembrar que em Nova Serrana uma pessoa foi presa em flagrante, com ordem de prisão dada pelo próprio Juiz Eleitoral, Dr. Rodrigo Perez Pereira durante o pleito do último dia 15.

 Casos semelhantes pelo país

Em todo o país haverá apresentação e denúncias pelo MP referente a crimes eleitorais como os constatados em Nova Serrana.

No estado de Goiás, por exemplo, o Ministério Público Eleitoral apresentou ao Juízo da 130ª Zona Eleitoral multas contra 21 candidatos por derramamento de santinhos em Minaçu neste domingo, 15, dia do pleito.

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas