Conecte-se conosco

Fiscalização

Minas vacinou mais fura-filas do que moradores de 712 cidades

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) vacinou 806 servidores contra Covid-19. Esse dado é superior ao número de pessoas que receberam a primeira dose do imunizante em 712 cidades mineiras (83% do Estado), conforme levantamento do Termômetro da Covid do jornal O TEMPO.


Assim, se a secretaria fosse contada como um município, ficaria em 142º lugar da vacinação no Estado, bem próximo de Coromandel, cidade do Triângulo Mineiro que passou por um colapso no sistema de saúde e teve de transferir dezenas de pacientes para outras regiões no Estado.

Se todos os servidores tiverem tomado a segunda dose, a SES passa a ficar no 72º lugar, entre Lagoa da Prata (824) e Piumhi (783). A SES-MG não informou quantos servidores já receberam a segunda dose nem se iria paralisar a vacinação de quem tomou a primeira dose.

Durante coletiva realizada na tarde dessa quinta-feira, 11 de março, o então secretário Carlos Eduardo Amaral afirmou não enxergar ato ilícito ou ilegal na vacinação dos servidores da pasta.

Segundo ele, o Plano Nacional de Imunização (PNI) não discrimina quais trabalhadores de saúde devem ser vacinados após os trabalhadores envolvidos nas aplicações das doses ou na linha de frente de tratamento de pacientes com Covid.

O ex-secretário disse ainda que, o plano de vacinação para a secretaria só foi definido após a imunização de 70% dos trabalhadores de saúde que realizam algum tipo de atendimento direto de pacientes infectados com Covid-19.

“Se houve algum caso de descumprimento (das regras), isso será avaliado pela SES, pela Controladoria Geral do Estado e pelos órgãos de controle”, afirmou o então gestor da Saúde, que já foi vacinado. Ele disse ainda que não poderia divulgar para a imprensa os nomes dos servidores vacinados por causa da Lei Geral de Proteção de Dados.

Os nomes serão enviados à Controladoria e ao Ministério Público, que investiga se houve casos de fura-fila na secretaria. Amaral afirmou também que todos os trabalhadores vacinados até o momento são peças fundamentais para o funcionamento do sistema de saúde no Estado, atuando em áreas como regulação de leitos, monitoramento, vigilância sanitária, almoxarifado, logística, entre outras.

Segunda aplicação ocorreria nesta semana

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais pretendia continuar vacinando servidores administrativos durante esta semana, segundo um memorando compartilhado com funcionários pelo governo de Minas ao qual O TEMPO teve acesso.

O documento diz que, agora, 220 pessoas receberiam as vacinas. Já os funcionários que trabalham em home-office ainda não teriam data para a imunização e só começariam a ser vacinados quando Minas recebesse doses suficientes para cobrir 90% dos profissionais da saúde – por ora, quase 69% receberam ao menos uma dose do imunizante.

O documento, datado de dia 5 de março, afirma que 250 trabalhadores já haviam sido vacinados entre os dias 22 e 23 de fevereiro. Seriam servidores que atuam na Rede de Frio, nas Centrais Regionais de Regulação Assistencial e na Farmácia de Minas.

Desta vez, seriam contemplados quem necessita ir a campo, por exemplo, para fazer visitas técnicas, equipes de almoxarifado e demais pessoas que trabalham presencialmente ou em revezamento. O memorando cita a Lei Estadual 23.787, que prevê detalhes da vacinação contra a Covid-19 e elenca “servidores públicos que tenham contato com o público” como prioritários.

Fonte: Por CINTHYA OLIVEIRA E CRISTIANO MARTINS –  O TEMPO

Foto: Imagem ilustrativa –  Tânia Rêgo/Agência Brasil

Mais lidas