Conecte-se conosco

Governo Municipal

Kalil pública decreto e intensifica medidas de isolamento em BH

Avatar

Publicados

em

Foi publicado nesta quarta-feira, 8, em edição extra do “Diário Oficial do Município” (“DOM”), o decreto Nº 17.328 assinado pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) que determina o fechamento, a partir desta quinta-feira, 9, por prazo indeterminado, de todos os estabelecimentos considerados não essenciais da cidade. O documento suspende todos os Alvarás de Localização e Funcionamento (ALF) e autorizações concedidos pela prefeitura.

Mais cedo, Kalil afirmou, em suas redes sociais, que “quem não está entre os serviços essenciais não deve ir trabalhar”.

Segundo o texto, estão liberados para abrir apenas: serviços de saúde; farmácias; laboratórios; clínicas; hospitais; óticas; supermercados; hipermercados; padaria; sacolão; mercearia; hortifruti; armazém; açougue; posto de combustível; lojas de materiais de construção civil; agências bancárias; lotéricas e correios, incluindo aquelas em funcionamento no interior de shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas. Eles só poderão funcionar, porém, se forem “adotadas as medidas estabelecidas pelas autoridades de saúde de prevenção ao contágio e contenção da propagação de infecção viral relativa ao Covid-19”. Além disso, deverão funcionar com “medidas de restrição e controle de público e clientes”.

Qualquer estabelecimento que não se enquadre nas exceções está vetado. O texto reforça ainda que casas de shows e espetáculos de qualquer natureza; boates, danceterias, salões de dança; casas de festas e eventos; feiras, exposições, congressos e seminários; shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas; cinemas e teatros; clubes de serviço e de lazer;  academia, centro de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico; clínicas de estética e salões de beleza. Bares e restaurantes podem funcionar, desde que seja para delivery ou retirada no local.

Ônibus de Caratinga é barrado

No primeiro dia do decreto da Prefeitura de Belo Horizonte que proíbe a entrada de ônibus vindos de cidades do interior de Minas que afrouxaram as medidas de isolamento social, agentes da BHTrans e da Guarda Municipal impediram a entrada de um coletivo de Caratinga, na Zona da Mata, na tarde de hoje. A ação ocorreu na avenida Antônio Carlos, altura do viaduto São Francisco, na região da Pampulha.

No momento da abordagem do ônibus, a guarda solicitou ao motorista que fizesse o retorno, o que provocou revolta entre os 29 passageiros.

O que pode funcionar em BH

supermercados
– hipermercados
– padarias
– farmácias
– sacolões
– mercearias
– hortifrutis
– armazéns
– açougues
– postos de combustível
– laboratórios
– clínicas
– hospitais
– óticas
– lojas de material de construção civil
– agências bancárias
– Correios e lotéricas

O decreto proíbe o funcionamento de casas de shows, festas, cinemas e teatros, shoppings e centros de comércios, clínicas de estética e salões de beleza.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, atividades administrativas e serviços de manutenção dos equipamentos poderão ser realizadas por meio virtual ou com portas fechadas para o público externo e, ainda assim, com escala mínima de funcionários.

O uso de praças e outros locais públicos para atividades de lazer ou esporte também está suspenso.

Fonte: O Tempo

Mais lidas