Conecte-se conosco

Política

Jaime Martins encerra ciclo de 24 anos como deputado federal e destina R$ 7 milhões em recursos para Nova Serrana em 2019

Avatar

Publicados

em

São 24 anos de atuação onde  participação e trabalho nos mais importante cargos do legislativo Federal colocaram o deputado Jaime Martins como uma dos mais importantes políticos de Minas Gerais.

Em toda sua história política federal a atuação em todas as áreas do governo, tendo como destaque os trabalhos desenvolvidos em áreas industriais, de infraestrutura, transporte e também as pautas éticas.

Sem dúvidas a política nacional não seria a mesma sem os projetos voltados para questões éticas apresentados pelo filho de Nova Serrana que neste mês de dezembro encerra um ciclo político muito bem sucedido.

Em entrevista exclusiva dada a este Popular, o deputado Federal Jaime Martins fala de sua atuação, trabalho, recursos e novos projetos que serão encabeçados a partir de 2019. Confira.

Jornal O Popular (OP) –  Deputado, são 24 anos atuando em Brasília, como você percebe o apoio popular nessa trajetória?

Jaime Martins (JM) – Na verdade preciso começar com um agradecimento, em primeiro lugar eu queria agradecer a todas as pessoas que ao longo destes 24 anos confiaram em meu trabalho. Recebi sempre votações absolutamente expressivas, nas últimas eleições sempre entre os mais votados do Estado e tenho a alegria de ser o primeiro filho de Nova Serrana a ocupar uma cadeira no congresso nacional e pude fazer isso por seis vezes seguidas, ou seja todas as vezes que fui candidato.

OP –  Como você analisa o fim deste ciclo?

JM – É hora agora de olhar para traz e fazer um balanço, e eu posso dizer ao povo de Nova Serrana que fizemos um trabalho diferenciado na Câmara dos Deputados. Foram 1032 proposições de projetos legislativas, quase duas por semana e uma fato raro, acho que nenhum deputado na história conseguiu fazer proposições em números tão elevados e não apenas proposições de pouca expressão, tive leis importantes aprovadas como a lei do ficha limpa que foi uma iniciativa minha ainda na década de 90, que 10 anos depois se transformou na chamada lei da ficha limpa.

OP – Sua atuação em pautas éticas sempre foram destaque, seu trabalho mudou de alguma forma a política no Brasil?

JM –  Se hoje um deputado e senador pode ser preso é porque eu mudei o conceito de imunidade parlamentar como relator dessa emenda constitucional. Somente na pauta ética de combate a corrupção temos mais de 50 projetos. Realizamos um trabalho conjunto com mais de 50 ONG’s que fazem um trabalho de combate a corrupção inclusive a transparência internacional, muito das ideias que eles desenvolveram eu transformei em proposições legislativas.

OP – Quais outras áreas você visualiza como destaque nessa trajetória?

JM – Eu atuei em todas as áreas mas notadamente na área de infraestrutura tivemos destaque. Ainda na última semana ainda finalizando essa trajetória eu aprovei o Sistema Nacional de Viação, que é uma bíblia do setor da infraestrutura no Brasil, lá estão todas os portos, aeroportos, hidrovias, ferrovias e rodovias. Fiz uma revolução no traçado das ferrovias brasileiras propondo a retomada dos trens de passageiros, criando uma espinha dorsal de infraestrutura que dará competitividade à indústria brasileira, ligando todos os portos brasileiros do atlântico a portos no pacifico.

OP – As pessoas não tem a percepção da amplitude de seu trabalho.

JM – As pessoas não acompanham de perto o nosso trabalho cada qual tem seus afazeres e volta suas atenções para os problemas do dia a dia, mas estejam certos de que Nova Serrana atuou no congresso de forma diferenciada e pode se orgulhar de seu representante. Conseguimos fechar um balanço extremamente positivo e tudo isso sem nenhuma acusação sem nenhuma mancha, nada que possa colocar ou questionar a lisura de nosso trabalho que afinal é o que eu aprendi com meu avô Benjamim e com meu pai Jaime Martins que são conhecidos da velha geração de Nova Serranenses, então todo o povo de nova serrana eu deixo o meu muito obrigado.

OP – O fim deste ciclo o que representa?

JM – Temos que dizer que obviamente não estamos parando de trabalhar, não estamos aposentando. Vamos continuar na ativa. Eu deixo um volume muito expressivo de recursos para Nova Serrana, na história com certeza fui a pessoa que mais destinou recursos e obras para a cidade. Em todos os bairros de Nova Serrana você sempre haverá de encontrar uma marca do nosso trabalho.

OP –  Entre essas obras que são seu legado em Nova Serrana, quais você destaca?

JM – A mais notória é a duplicação da BR 262, não é por acaso que essa região é a única do Estado que tem uma questão bem resolvida quanto as rodovias, acesso a capital a região metropolitana tanto a BR 494, quanto à BR 262 você não vai encontrar nenhuma cidade que tem uma travessia urbana como temos em Nova Serrana, uma obra que é um cartão postal da cidade que é a altura do desenvolvimento e do que o povo merece.

OP – Esses 2 anos de atuação como podem ser vistos como benefícios para a população?

JM – Temos ainda muitas escolas postos de saúde, são dezenas de escolas, de unidades básicas de saúde, o Centro de Convenções e Arena do Calçado que é resultado de trabalho nosso desde o terreno, que pertencia a minha família, onde passei parte de minha infância e, nós cedemos esse terreno para que a prefeitura construísse esse empreendimento tão importante para a cidade, e ainda, conseguimos recursos federal para que a prefeitura construísse com ajuda da iniciativa privada e hoje, temos ali um local de eventos que atende além das feiras de calçados que trazem centenas de compradores a cidade para movimentar a economia, mas também festas importantes como festa do trabalhador, festa da Apae da Vila Vicentina, é um espeço multiuso que atende as demandas de Nova Serrana e talvez não exista em outra cidade na região um espaço tão generoso como esse, onde se faz eventos e também se tem ações esportivas como o futebol. É um trabalho que ao longo destes 24 anos poderíamos talvez preencher todas as páginas do jornal.

OP –  Deputado, o senhor pontuou que deixou recursos para a cidade. Qual o montante foi direcionado para o município se tratando do ano de 2019?

JM – Estou deixando alguns milhões de reais no orçamento de 2019 para Nova Serrana para aplicação sobretudo em obras de infraestrutura. São mais de R$ 7 milhões a disposição para fazer obras de infraestrutura, tenho expectativa favorável de que isso seja cumprido porque é um orçamento impositivo e obrigatório então procuro fazer o que posso no limite de minhas forças para ajudar Nova Serrana.

OP –  Já que ponderou sobre a emenda impositiva destinada para a cidade, qual a sua perspectiva para o primeiro ano dos novos governos?

JM – Vivemos agora um momento de encerramento de ciclo, de natal, ano novo, expectativa dos novos governos que chegam agora no dia primeiro, tanto federal quanto estadual. Peço a Deus que ilumine esses governantes para que possam tomar sabias decisões e que corresponda a confiança popular que depositou neles uma esperança muito grande de mudança e transformação, estamos aguardado esse tempo mas, o que posso afirmar é que definitivamente não me afasto da vida pública.

OP – E como será sua atuação a partir de 2019?

JM – Ainda não sei exatamente a minha trajetória, mas estará diretamente relacionada a Nova Serrana. Eu com certeza nos municípios que me confiaram a sua representatividades ao longo destes anos participarei do pleito de 2020.

OP –  Isso significa que estará ativo quanto a política de Nova Serrana?

JM – Sem dúvida nenhuma. Nova Serrana é minha terra natal, onde tenho todo o interesse, onde continuo mantendo vínculos, tenho família, interesses comerciais, tenho empreendimentos comerciais e vou continuar vindo semanalmente a cidade, participando da vida política, da sociedades e estarei convivendo agora talvez até com um pouco mais de tempo para poder aproveitar um pouco mais as boas amizades de Nova Serrana, mas certamente nas eleições de 2020 estaremos participando de forma ativa.

OP – em Divinópolis ventila a possibilidade de que você seja candidato ao executivo, ser prefeito talvez seja sua nova empreitada?

JM – Não sei ainda de que forma. As pessoas em Divinópolis sempre me questionam se serei candidato ou não. Essa possibilidade existe, mas não é uma coisa ainda definida, é algo que precisa ser consultado, planejado, ver o interesse popular se isso interessa ao povo se eles tem essa visão. Eu cheguei até a ser avaliado para participar de alguns ministérios em função do meu currículo que é considerado pelo presidente como bastante diferenciado. Tenho três cursos superiores, especializações. Uma coisa é certa eu continuarei bastante ativo, se Deus me der força e saúde eu quero contribuir para construir em nossa região uma região cada vez melhor. Nova Serrana é uma cidade desafiadora por sua dimensão de crescimento, está sempre exigindo mais investimentos em saúde, educação, lazer e infraestrutura e estou ai para poder ajudar e trazer a minha parcela de colaboração para o povo de Nova Serrana naquilo que eu puder colaborar.

OP – E como fica o desenvolvimento das ações em prol do desenvolvimento industrial da cidade?

JM – É importante lembrar que temos que ter muito cuidado com relação à economia de Nova Serrana, que compete diretamente com produtos importados, produtos da China que é uma economia muito agressiva. A China destruiu a indústria de tecido do Brasil e em alguns segmentos vem se impondo uma vez que tem alta tecnologia e baixa mão de obra.  Durante esses anos todos consegui impedir a entrada do calado chinês no Brasil com imposição de sobretaxas muito altas, no entanto o mercado brasileiro não tem calçado chinês e atuei a nível de estado no sentido de propiciar condições adequadas para a indústria calçadista. Agora me afastando é necessário ter muita atenção com relação a isso porque se houver uma abertura de mercado forte para produtos chineses na área de calçados irá impactar diretamente a indústria de Nova Serrana. Eu estarei acompanhando, a disposição das autoridades para trabalhar no sentido de que isso não seja uma realidade a ponto de prejudicar nova Serrana, se houver um desemprego em massa em Nova Serrana as consequências serão terríveis.

OP – E quanto a situação dos municípios mineiros e as dívidas do estado, qual sua visão sobre o momento vivenciado em Minas Gerais?

JM – De fato 2018 foi um ano de ajuste de dificuldades, onde uma crise política, moral no país acabou afetando a economia e o nível de empregos, isso traz infelicidades, tensão e preocupação nas pessoas e a desorganização financeira de Minas Gerais está trazendo consequências financeiras para os municípios. Ao reter recursos dos municípios deixa os prefeitos em situação absolutamente delicada a ponto de ter dificuldade de cumprir compromissos mais básicos, eliminando completamente a capacidade de investimento. Temos municípios que não vão conseguir pagar as folhas de dezembro com 13º, é triste, é ruim, espero que as administrações que irão assumir possam resolver esses problemas.

OP – Bom deputado sabemos que agora você tem que se dirigir a Brasília, ainda tem compromissos para cumprir nesta reta final de 24 anos como deputado federal, mas encerrando aqui queremos pedir que você deixe uma mensagem para a população de Nova Serrana.

JM – Eu queria deixar eu abraço e agradecimento a todos que confiaram em mim o seu voto nestes 24 anos. Quero desejar a todos um feliz natal, de paz, de tranquilidade e que 2019 seja o melhor ano na vida de cada um dos Nova Serranenses. Que a crise e as dificuldades fiquem em 2018 e que o despertar de 2019 seja de um novo tempo na vida de todos.

Continue Lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas