Conecte-se conosco

Minas

Idosa é morta a pauladas e arrastada pela casa em Minas

Publicados

em

Um idoso de 86 anos é suspeito de matar a própria companheira, de 76 anos, no bairro Sevilha em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Inicialmente, o homem, que tem histórico de confusão mental nos últimos meses, alegou que a mulher tinha se acidentado com a porta do banheiro. As informações são do jornal O Tempo.


Na quinta-feira (17/2), o idoso foi até a casa de vizinhos e contou que a mulher sofreu um acidente na quarta-feira (16).

Uma afilhada da mulher, que frequentava a residência do casal, foi até o local e ao tocar na vítima, sentiu uma rigidez cadavérica e o corpo frio. O homem argumentou que a porta do banheiro tinha caído na cabeça da mulher, mas foi indagado aonde estava a porta. Ele então levou a testemunha até a lavanderia, onde estava a porta e um pedaço de eucalpito tratado, com 50cm.

A testemunha, então, acionou a polícia e o Samu. Um médico constatou o óbito no local, mas a vítima não foi resgata por suspeitarem de ser um crime, e não um acidente.

O perito que compareceu ao local sentiu um ferimento na testa da vítima, que era um corte, além de uma poça de sangue, que indicava que o corpo da vítima tinha sido arrastado entre os cômodos da casa. Ao virar o colchão do casal, o perito constatou muito sangue e que o objeto tinha sido virado por alguém. O ferimento no rosto da vítima não condizia com um acidente causado pela porta do banheiro.

Quando os policais chegaram ao local, a testemunha chamou para que eles vissem o pedaço de eucalipto na lavanderia, mas não estava lá mais. O perito encontrou o objeto debaixo da cama do casal.

Diante dos fatos, o idoso recebeu voz de prisão por homicídio.

Histórico

O casal já era conhecido da família por apresentarem problemas de saúde e mental. Há alguns meses, os parentes detectaram que o idoso apresentava confusão mental, não reconhecendo lugares e pessoas. Ainda assim, ele costumava sair de casa sozinho.

Já a vítima, só saia de casa acompanhada da afilhada. Ela tinha o histórico de deficiência de vitamina D e anemia, mas abandonou o tratamento por não poder fazer o uso de bebidas alcoólicas. Pela falta de vitamina D, a mulher era fraca e constantemente sofria quedas. Recentemente, ela apresentou tremores. A família chegou a suspeitar de Parkinson, mas médicos constataram que, na verdade, era abstinência de bebida.

Foto: Reprodução/Google Street View

Mais lidas