Conecte-se conosco

Cidade

IDEB liga sinal de alerta para educação pública municipal

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.
A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal “opopularns.com.br” A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Pela primeira vez nos últimos 12 anos Nova Serrana não obtém resultados do Ideb acima da meta estabelecida

O município de Nova Serrana, que teve ao longo dos últimos anos uma crescente significativa quanto aos Índices de Desenvolvimento de Educação Básica (IDEB), contudo, em 2019 a educação apresentou uma interrupção na crescente de rendimento, fato que foi indicado nos índices do Ministério da Educação (MEC).


É importante, antes de tudo, salientar que não se trata dos impactos da pandemia, iniciada em 2020, mas sim do levantamento feito pelo Ministério da Educação no ano de 2019, onde os dados divulgados apontam que a cidade voltou a registrar números inferiores aos obtidos no ano de 2015 na educação pública municipal.

Segundo apurado, das 17 escolas municipais que participaram do levantamento, apenas duas tiveram indicação satisfatória no Ideb 2019, tendo sucesso em atingir a meta do município, igualar ou ultrapassar a nota de 6,0 e registrar crescimento nos índices de educação, no ano de 2019.

Aqui é importante ainda ressaltar que a reportagem não teve acesso aos dados anuais das unidades, não sendo assim possível avaliar ano a ano, os resultados obtidos nas avaliações de cada uma das instituições.

Retrocesso?

Conforme divulgado, o Ideb 2019 “nos anos iniciais da rede municipal já atingiu a meta e alcançou 6,0, mas teve queda. Sendo assim o município tem o desafio de garantir mais alunos aprendendo e com um fluxo escolar adequado”.

Os dados apontam que em 2019 a rede municipal de educação atingiu a meta de 6,2 estabelecida para Nova Serrana, contudo, baseado nos índices de 2015 e 2017 os resultados apresentam um retrocesso da nota obtida na rede pública municipal.

Em 2015, Nova Serrana tinha como meta estabelecida pelo MEC de 5,7, e a cidade obteve o índice de 6,2. Já em 2017, a meta estabelecida era de 5,9 e a nota obtida foi de 6,5.

Sendo assim em 2019, atingindo a meta de 6,2, a cidade volta a índices obtidos em 2015 e pela primeira vez nos últimos 12 anos não obtém índices superiores as metas estabelecidas pelo MEC.

Comparativo com outros municípios

De acordo com o Ideb a taxa de aprendizado em todas as escolas do 5º ano de Nova Serrana é de 63%, percentual superior ao nacional que é de 55%, mas inferior ao estadual que é de 64%.

Ao ser comparado com as quatro maiores cidades da região, Nova Serrana obteve o menor índice, ficando atrás de Itaúna 85%, Divinópolis 78% e Pará de Minas 75%.

Quanto as cidades vizinhas, a capital do calçado não teve os índices superados somente por Conceição do Pará 61%. Assim registrou notas inferiores aos municípios de Perdigão 76%, Leandro Ferreira 76%, Araújos 75%, Bom Despacho 75%, Pitangui 70% e São Gonçalo do Pará 68%.

Referente ao aprendizado do 9º ano, os índices também não são muito diferentes, a cidade obteve nota de aprendizado de 39%, percentual novamente superior aos do país (36%), mas inferior ao mineiro (40%).

No 9º ano a capital do calçado se manteve como a pior das quatro maiores cidades da região, ficando atrás de Divinópolis (51%), Itaúna (51%) e Pará de Minas (41%).

Prova Brasil

Se os dados apontados não fossem o suficiente para ligar o sinal de alerta da educação pública em Nova Serrana, os resultados obtidos pela prova Brasil, no 5º ano apontam para uma queda mais brusca.

Na avaliação relacionada à língua portuguesa, foi obtida em 2019 a nota 214,33, que é por sua vez um resultado inferior a nota 216,85 registrada em 2015.

A situação, no entanto, fica pior na avaliação relacionada à matemática. A nota registrada em Nova Serrana foi a pior dos últimos 10 anos. Os 225,30 obtidos em 2019 são superiores somente aos 177,13 registrados em 2007. A partir dai todas as avaliações divulgadas nos anos de 2009, 2011, 2013, 2015 e 2017 registraram resultados superiores aos conquistados em 2019.

Melhores e piores escolas municipais de Nova Serrana

Entre as 17 escolas municipais avaliadas, somente a E.M. Alice Cândida e E.M. Geralda de Assis Freitas, localizadas nos bairros Romeu Duarte e Santa Cruz (respectivamente), tiveram resultado satisfatório tendo sucesso em atingir a meta do município, igualar ou ultrapassar a nota de 6,0 e registrar crescimento nos índices de educação, no ano de 2019.

Ao todo 10 escolas municipais não atingiram as metas estabelecidas para o município. E 14 escolas não apresentaram nenhum crescimento no Ideb de 2019, referente ao ano de 2017.

No entanto é importante ressaltar que apenas duas escolas receberam classificação de alerta, sendo elas a E.M. Arésio Eleutério Amaral Junior e a E.M. Professora Eliana Francisca de Freitas, localizadas nos bairros São José e São Geraldo II, respectivamente.

O Ideb também apontou que quatro escolas estão com classificação de atenção, são elas: E.M José Américo Lacerda (Santa Luzia), E.M. Maria Alves de Brito Leite (Planalto), E.M. Américo Ferreira (Capão) e E.M Frei Ambrósio (Novo Horizonte).

Foram ainda classificadas com indicação para melhorar seis escolas: E.M. Agenor Joaquim Ferreira (Moreiras), E.M. Diretora Maria do Carmo Fonseca (Jeferson Batista de Freitas), E.M. Dona Maria Rosa Soares (Planalto), E.M. Jose Antônio de Lacerda (Boa Vista), E.M. Leonor Cândida de Faria (Gamas) e E.M José Belchior Preto (Bela Vista).

Cabe ainda ressaltar que segundo o Ideb não divulgou dados obtidos das seguintes escolas: E.M. Dioneta Batista de Freitas (Centro), E.M. Jose Rodrigues Neto (Barretos) e E.M. Marcal Moreira da Silva (Novais).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Prefeitura

Diante do acesso aos dados obtidos no Ideb referente ao ano de 2019, a reportagem do Jornal O Popular procurou a secretária Municipal de Educação, Neusa Lago (Neusinha), e fomos prontamente atendidos pela chefe da pasta de Educação em Nova Serrana juntamente com o Coordenador Pedagógico do Ensino Fundamental, Geraldo Evangelista.

Diante dos questionamentos feitos por nossa reportagem a secretária Neusa Lago e sua equipe ressaltaram que a nota do Ideb é um somatório de fatores que estão relacionados desde a estrutura física, a condição de ensino disponibilizada, a qualificação dos profissionais e o resultado obtido pelos alunos quanto as avaliações.

Nesse sentido, relacionado à avaliação de Nova Serrana, e inclusive tem relação direta com a avaliação de outros municípios está o fato de que quando se tem uma infraestrutura em um nível alto, muito a tendência é que seja mais difícil ainda evoluir os resultados obtidos no município.

“Se você avança nas metas estabelecidas chega a um determinado momento que se obtém um teto de desenvolvimento. Por exemplo, se você já tem uma escola com material didático para todos os alunos, com internet sendo ofertada em todas as escolas você atinge uma estrutura de alta qualidade, que não vai ser superada. É muito mais fácil crescer quando não tem condições e viabilizar isso torna o crescimento mais real”. Ponderou Geraldo Evangelista.

Seguindo a secretária considerou que “as escolas vem evoluindo quanto a estrutura que é fornecida, agora nosso trabalho é tornar a escola um lugar onde a criança goste de estar. Nova Serrana sempre teve a cultura de que o empresário que ganha dinheiro de um dia para o outro não precisa de estudo e agora essa cultura vem sendo mudada, mas tudo é uma questão de tempo, a educação é a única pasta que você não tem resultados imediatos, é uma sementinha plantada, que vai dar frutos lá na frente”. Disse Neusinha.

Neusinha também considerou que os resultados obtidos em Nova Serrana como um todo não são negativos, uma vez que a nota 6,2 registrada atingiu a média estabelecida, e ressaltou que a pasta segue atenta e buscando formas de evoluir a educação municipal.

“O Ideb não foi bom, mas foi real. Negativo é estar abaixo da meta e isso não ocorreu, mas nossa equipe está atenta para os resultados. Já estabelecemos um foco de trabalho diferente. Não tínhamos em Nova Serrana o foco em avaliação, justamente pela preocupação de tornar a escola o ambiente que o aluno deseja e entende que necessita estar. Nós nos preocupamos em cuidar dos alunos. Neste ano, no entanto, vamos investir mais nas avaliações externas, porque diante do trabalho desenvolvido o resultado do Ideb foi injusto”. Afirmou Neusinha.

Problemas e soluções

Conforme apontado por Geraldo Evangelista, o problema das evasões é algo real em Nova Serrana, mas isso devido a questão do perfil migrante da cidade.

“Nova Serrana é um dos lugares com alto número de evasão escolar, mas também um dos lugares com o maior número de matriculas escolar. Isso pelo perfil dos migrantes, que muitas fezes vêm para a cidade, realiza a matricula dos filhos, e ao longo do primeiro semestre retornam para suas cidades e isso é considerado evasão”.

Neusinha também apontou quanto ao perfil dos alunos existe a preocupação direta quanto a condição e nível educacional com o qual as crianças chegam a Nova Serrana, uma vez que em muitos casos os alunos não conseguem acompanhar o rendimento dos alunos que já estão inclusos na rede municipal de ensino.

Diante dessa questão o município desenvolveu uma ferramenta chamada de “Programa Aprendi”, o que segundo Geraldo, viabiliza a possibilidade da gestão da educação municipal avaliar cada aluno e seu desempenho específico.

“Com esse programa que criamos conseguimos individualizar o coletivo. Conseguimos por meio das provas, avaliar a condição de cada um dos alunos, assim posso ir até o setor pedagógico de cada unidade, e mostrar qual o trabalho deve ser feito por cada profissional e cada aluno, e assim podemos trabalhar as carência e promover a melhoria individual do aluno da nossa rede de ensino”. Finalizou.

Mais lidas