Conecte-se conosco

Abuso Sexual

Homem que abusou e torturou ex com esquizofrenia é preso

Publicados

em

O homem de 44 anos suspeito de abusar sexualmente da ex-namorada, uma mulher de 28, portadora de esquizofrenia, e escrever o nome dele na barriga da vítima, além de introduzir no órgão genital dela um objeto de ferro com drogas dentro, em Vespasiano, na Grande BH, foi preso pela Polícia Civil na última quinta-feira (14/10). Os detalhes desse crime bárbaro foram repassados pela corporação na tarde de segunda-feira (18).


A Polícia Civil tomou conhecimento do crime, que ocorreu no dia 30 de setembro, na casa da vítima, no bairro Nova Pampulha, após um boletim de ocorrência feito pela mulher, com a ajuda de uma vizinha.

“A vítima contou que estava na cozinha, por volta de 22h, quando viu o ex-namorado invadir a casa dela. O autor tampou a boca dela e a levou para o quarto do filho de 2 anos, que estava dormindo. Nesse cômodo, manteve relações sexuais com ela. Em seguida, pegou um canivete e escreveu o nome dele na barriga. Ele disse que era para que ela não se esquecesse dele nunca mais. Depois, introduziu uma peça de ferro na vagina dela”, contou a delegada Nicole Perim Martins, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) Vespasiano, que investiga o caso.

Após o crime, o homem ameacou a mulher para que não contasse para ninguém o que havia acontecido. Em seguida, ele fugiu do endereço.

Com medo do suspeito e vergonha, a vítima preferiu não contar pra ninguém o que havia acontecido. “Na sexta-feira (1), ela não procurou ajuda. Ela mesma conseguiu tirar uma bucha de maconha da vagina, mas seguia sentindo muita dor. No sábado, ela pediu a ajuda de uma vizinha. Só na segunda-feira foi acionada a Assistência Social, que encaminhou ela pra o Hospital Odilon Beres. Depois, foi trazida para a delegacia de polícia”, explica a delegada.

O crime ocorreu após sete anos do fim do relacionamento, de apenas três meses, entre a vítima e o suspeito. Por isso, a mulher só sabia o primeiro nome do autor.

“De posse das características do autor, os investigadores conseguiram chegar nele. A vítima confirmou que ele era o autor do crime. Imediatamente foi pedida a prisão preventiva desse homem. A prisão foi deferida na última semana e cumprida na última quinta”, lembra a delegada Nicoli Perim Martins.

Preso

Embora a vítima tenha reconhecido o suspeito, o homem negou o crime. “O autor negou os fatos e disse acreditar que a vítima estava ‘armando’ pra cima dele. Contudo, ele admitiu que todos os dias, após o trabalho, ele faz uso de crack e maconha, segundo ele, ficando ‘doidão’ e tendo amnésia. Ele ainda disse que pode ser que ele estivesse sob efeito de drogas e que tenha cometido esse crime”, detalha a delegada.

Ainda na delegacia, o autor não cedeu material genético para o exame de DNA.

Após a prisão, o homem, que já tem passagem, foi preso e encaminhado ao sistema prisional.

Fonte: Por CAMILA KIFER –  O Tempo

Foto: Videopress Produtora – O Tempo

Mais lidas