Conecte-se conosco

Abuso Sexual

Homem é preso e indiciado por estupro de vulnerável pela Polícia Civil

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Um homem de 27 anos, suspeito de abusar uma adolescente de 13, foi preso pela Polícia Civil em Mateus Leme, cidade localizada na região-metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com informações repassadas durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, 27 de fevereiro, eles seriam namorados e o rapaz foi indiciado por estupro de vulnerável.

A investigação teve início após a mãe da adolescente acionar a polícia e registrar o desaparecimento da filha, na última quinta-feira (19).

Segundo ela, a jovem teria fugido de casa durante a madrugada porque os pais não aceitavam o namoro. Após o registro, a polícia identificou que a menina estava acompanhada do suspeito na casa dele.

De acordo com a delegada Lígia Mantovani, responsável pela investigação, o casal confirmou aos policiais que mantinham relação sexual. A adolescente teria conhecido o suspeito há mais de um mês.

“Como a vítima tem 13 anos de idade, ele foi preso em flagrante e conduzido. Ela disse que as relações foram consentidas, entretanto, desconhecia a realidade do rapaz”, disse a delegada.

Levantamentos apontaram que o homem tem diversas passagens por envolvimento com drogas e duas ocorrências de roubo. Em uma delas, ele foi preso em flagrante e indiciado. Atualmente estava em liberdade condicional.

“No depoimento, a menina alegou para a polícia que fugiu porque os pais não aceitavam o namoro. Então ele, mesmo sabendo da situação, manteve relações sexuais com ela, ao invés de levá-la de volta para os pais”, frisou a delegada. A perícia técnica confirmou a consumação dos atos sexuais.

Com o indiciamento do suspeito por estupro de vulnerável, crime que independente de consentimento e prevê pena máxima de 15 anos, a delegada concluiu o inquérito em quatro dias.

Fonte: Hoje em Dia

Foto: Imagem Ilustrativa Web

Mais lidas