Conecte-se conosco

FIEMG

Governador Romeu Zema anuncia abertura de mais 100 leitos de UTI para pacientes com covid-19

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

 

Em mais uma ação de enfrentamento à pandemia, o governador Romeu Zema recebeu da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), nesta segunda-feira, 22 de março, mais 100 ventiladores mecânicos que ajudarão na ampliação de 100 leitos de UTI em todo o estado ao longo desta semana.

Os equipamentos foram entregues, na sede da Fiemg, pelo presidente da federação, Flávio Roscoe. Na semana passada, o Governo de Minas Gerais abriu 33 leitos de UTI nos hospitais da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig).

Durante a solenidade, Zema lembrou que todas as iniciativas implementadas até o momento ajudaram a salvar milhares de vidas, como a ampliação em mais de 100% dos leitos na rede pública. “Sabemos que a solução definitiva é a vacinação em massa, mas o governo fará o necessário para salvar vidas. Essa é a nossa grande prioridade”, afirmou.

Os ventiladores serão distribuídos para as unidades de Saúde espalhadas em todas as macrorregiões do estado. Belo Horizonte receberá 20 ventiladores, assim como Betim (20). Na capital, os equipamentos serão alocados nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Juiz de Fora, na Zona da Mata, receberá 15 equipamentos. Já as cidades de Montes Claros e Timóteo ficarão com 10 ventiladores cada uma. Viçosa receberá 7 equipamentos, seguida por Ponte Nova (6), São Lourenço (5), Paracatu (4) e São João del-Rei (3).

O critério técnico utilizado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) foi a identificação de hospitais com capacidade de abertura imediata de leitos de UTI.

Doações

O governador enalteceu a parceria da Fiemg com o Governo de Minas desde o início da pandemia no país. “No ano passado, a entidade doou 1,6 mil respiradores, que foram de extrema importância para equipar os hospitais em todo o estado, e, agora, mais 100 equipamentos ajudarão na abertura de leitos”, afirmou.

Indústria mineira

Flávio Roscoe lembrou que a mobilização da indústria mineira transformou a Fiemg na maior doadora de respiradores do país. “Além disso, a entidade doou 180 leitos de UTI para diversos hospitais do nosso estado, que já estão em pleno funcionamento”, explicou.

“O setor produtivo está fazendo tudo que está a seu alcance para mitigar os efeitos da pandemia. A Fiemg também está trabalhando na frente da vacina, ajudaremos no fornecimento de oxigênio e, desde o início, entregamos jalecos, máscaras e álcool em gel”, disse.

Em agosto do ano passado, a Fiemg doou para o Governo de Minas 1,6 mil respiradores fabricados pela Inspirar, uma empresa Health Tech idealizada pelos sócios da empresa mineira de soluções tecnológicas Tacom.

O equipamento produzido é o VI-C19 que utiliza dois módulos para fazer a ventilação: o volume controlado (VCV) e o modo pressão controlada (PVC). Ele está apto a ventilar qualquer doente com insuficiência respiratória que necessite do apoio mecânico. O projeto foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar formada por médicos intensivistas, engenheiros, programadores e desenvolvedores.

Ampliação de Leitos

Desde o início da epidemia da covid-19 no estado, o Governo de Minas, por meio da SES, realiza estudos assistenciais para a melhoria contínua do atendimento à população e já dobrou o número de leitos na rede pública. Em fevereiro de 2020, Minas Gerais contava com 2.072 leitos de UTI e 11.622 leitos de Enfermaria. Atualmente, a rede pública hospitalar conta com 4.364 leitos de UTI e 20.840 unidades de Enfermaria.

Entre as diversas ações adotadas pelo Governo de Minas para enfrentamento ao coronavírus, está a aquisição de 1.047 respiradores, ao preço médio mais baixo do país. Isso permitiu a instalação de leitos de UTI, muitos deles em municípios que nunca tinham contado com unidades de terapia intensiva.

FOTO/FONTE: GIL LEONARDI AGÊNCIA MINAS

 

Mais lidas