Conecte-se conosco

Esportes

Galo aciona Conmebol contra Palmeiras para anular gol ou repetir a partida

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O Atlético entrou, na última quarta-feira (29/09), com um pedido na Unidade Disciplinar da Conmebol contra o Palmeiras na tentativa de anular o gol da equipe paulista, que acabou decretando a eliminação do Galo na semifinal da Copa Libertadores.


O clube entende que o gol de Dudu que decretou o empate em 1 a 1 deveria ter sido invalidado por causa da invasão de campo do atacante Deyverson, que estava no banco de reservas e cruzou a linha do campo durante a jogada.

O Atlético pede a aplicação da sanção ao Palmeiras com base no artigo 7, item 3, alínea “f” do Código Disciplinar 2021 para anular o gol de Dudu e determinar o resultado da partida como 1 a 0 para a equipe mineira.

Caso o pedido não seja acatado, o Atlético pede ainda que seja determinada a repetição da partida, conforme prevê a alínea “k” do mesmo item 3 do artigo 7.

Fundamentação

Após o gol palmeirense, Deyverson foi apenas advertido com o cartão amarelo pelo árbitro. O lance foi checado pelo VAR e o gol foi confirmado

Nos fundamentos para o pedido, ao qual o Super FC teve acesso, o Atlético cita a regra 3.9 do Law of the Game 21/22 da International Football Association Board, que diz que, “se após a marcação de um gol o árbitro perceber que um jogador substituto da equipe que o marcou se encontrava dentro do campo naquele momento, o árbitro deve invalidá-lo e reiniciar o jogo com tiro livre direto, executado do local em que a pessoa extra estava”.

O departamento jurídico do Atlético entende que, pelo fato do árbitro ter percebido que Deyverson tinha entrado em campo e o advertido com o cartão amarelo antes do reinício do jogo, houve erro de direito.

“Nesse sentido, eleva-se que não se está diante de má interpretação dos fatos, mas, em verdade, de erro de direito flagrante e inescusável, que teve como consequência a assinalação de gol notoriamente inválido, o qual deu acesso indevido ao Palmeiras à final da Copa Conmebol Libertadores 2021”, diz o documento, assinado pelo presidente Sérgio Coelho e enviado pelo Atlético à Conmebol.

Fonte: por Thiago Nogueira –  Super.FC

Foto: Reprodução Fox Sports

Leia mais...
Propaganda

Mais lidas