Conecte-se conosco

Policial

Gaeco, Ministério Público, Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal desarticulam “Covil de Ladrões”

Publicados

em

 

Operações “Covil de Ladrões” e “Delivery” desarticulam quadrilhas de roubo de carga e tráfico de drogas que atuavam em todo o estado, mas com centro de atuações na rodovia BR 262 entre Bom Despacho e Nova Serrana

Foi deflagrada na manhã da última quinta-feira, dia 06 de dezembro a fase ostensiva das operações “Covil de Ladrões” e “Delivery”, que culminou na desarticulação de quadrilhas de roubos de mercadorias nas rodovias mineiras e no tráfego de drogas na região de Nova Serrana.

As operações foram coordenadas pela Promotoria de Nova Serrana, na pessoa do promotor de justiça Dr. Alderico Carvalho e contou com o apoio e trabalho conjunto do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), Polícia Civil (PC) por meio da Delegacia Regional de Nova Serrana e da o Deoesp, Polícia Militar (PM) através do 60° BPM, 7ª RPM, CPE, 7ª CiaRV, 7º BPM, 23º BPM, 19ª Cia PM Ind e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 Investigações

Conforme ponderado pelo inspetor Teles Basílio, da PRF, o aumento substancial de crimes na rodovia BR 262 no trecho entre Bom Despacho e Nova Serrana, sendo constatados cerca de 30 roubos no prazo de aproximadamente um ano, chamou a atenção quanto a possibilidade de uma organização criminosa estar atuando na área.

Partindo dai a promotoria de justiça de Nova Serrana pontuou que as investigações começaram partindo da percepção o aumento no número do furto de cargas ainda no ano passado. “Em 2017 iniciamos a investigação partindo de roubos de cargas na rodovia BR 262, com apoio da Polícia Civil, foi identificado que um membro da facção criminosa conhecido no meio policial como ‘Boca Preta’, que se encontra preso por diversos crimes na Penitenciária Nelson Hungria, coordenava de dentro do presídio e após a apreensão de um celular com o suspeito foi possível desencadear a operação devido a identificação de membros da organização criminosa em todo o estado de Minas Gerais”, disse o promotor Alderico.

Ainda segundo o promotor, os trabalhos de investigação levaram ao desmembramento e desenvolvimento da Operação “Delivery”. “Com as informações ampliamos as investigações o que nos levou a identificar outro grupo criminoso, este relacionado ao tráfico de drogas, partindo dai realizamos o desmembramento e criamos a Operação “Delivery”, que recebeu esse nome pelo fato dos criminosos em Nova Serrana desenvolverem um sistema parecido com um tele entrega de drogas, onde utilizavam motocicletas e até mesmo bolsas de entregar lanches para fazer o transporte das drogas até o comprador”, explicou o promotor.

Outro ponto de destaque exposto pelo promotor de Nova Serrana foi quanto aos trabalhos da operação que promoveu também o sufoco financeiro dos envolvidos. “Podemos destacar também o apoio do judiciário, onde conseguimos autorização de não só prendermos, envolvidos, mercadorias e apresentarmos denúncias, mas também tivemos a autorização de apreender bens dos envolvidos, o que auxilia quanto a desarticulação do crime, e nesse sentido realizamos o recolhimento de mais de 40 veículos, entre eles motocicletas e carros de luxo”, salientou Dr Alderico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Ocasião faz o ladrão

Segundo o Coordenador regional do Gaeco, Dr. Ângelo Ansanelli, a quadrilha escolhia as cargas a serem roubadas partindo da oportunidade e facilidade de abordagem das vitimas. “Identificamos que a quadrilha atuava fazendo o monitoramento das rodovias e de forma muito organizada, pois pudemos identificar quem monitorava, quem realizava o furto inclusive com uso de violência e até quem vendia e receptava a mercadoria. Nessa operação obtivemos êxito em prender a quadrilha e os receptadores”, disse Dr Ângelo.

Ainda segundo Ângelo, todos os tipos de carga eram roubadas. “Os bandidos não faziam os roubos por produtos específicos, roubavam de tudo, eletro domésticos, tênis, roupa, cosmético, cabide, bacias e até carne”, explicou o coordenador do Gaeco.

 Próximos passos e resultados

Os próximos passos agora será a apresentação da denúncias e desmembramento da operação com novas provas. “O MP tem em mãos material suficiente para as denúncias, existe ainda a possibilidade de eventuais delações, e o próximo passo será oferecer as denúncias referente aos crimes identificados e ainda existe posterior possibilidade de desdobramento das investigações”, afirmou o DR. Giovane Avelar do Gaeco.

Segundo delegada Drª Elenita Batista, os presos foram listados e levados ao Presídio de Nova Serrana. De acordo com o Major Gotelipe ao todo foram utilizados na operação cerca de 47 viaturas sendo 37 da PM, 6 da PC e 04 da PRF, foram ainda destinados cerca de 230 oficiais, sendo 195 da PM, 25 da PC e 20 da PRF.

Até o fechamento da edição a operação contabilizou: – 26 presos em virtude de cumprimento de MP; – 07 presos em flagrante; – 46.117,30 reais em dinheiro; – 155.000,00 em cheque aproximadamente; – 450 papelotes de cocaína aproximadamente; – uma barra de maconha; – uma barra de cocaína de aproximadamente 500g; – 01 Rádio HT; – 01 notebook apreendido; – 27 veículos apreendidos, sendo 02 roubados.; – 27 celulares apreendido; – 1 GPS; – Centenas de pares de calçados, Cabides; Baldes; Bebidas falsificadas, caixas de Whisky e vodca; Vasos; Móveis; Sabonetes; Cortinas; Bacias.; – 05 Tokens; – Grande quantidade de carga proveniente de furto/roubo.; – 01 pé de maconha; – 08 cartões de crédito; – Sequestro de bens: – 04 Casas; 02 Sítios; – 06 contas bancárias

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas