Conecte-se conosco

Administração

EXCLUSIVO – Câmara exonera 24 servidores e faz corte para contenção de despesa

Avatar

Publicados

em

Todos os auxiliares parlamentares dos gabinetes dos vereadores de Nova Serrana foram exonerados. Cortes atingiram ainda, lanche dos edis, água mineral, racionamento de combustível e café de servidores

A Câmara de vereadores de Nova Serrana está passando por um choque de gestão. Visando a austeridade a presidente interina da Casa, vereadora Terezinha do Salão (PTB) promoveu esse mês uma série de exonerações e cortes de despesas para que a casa consiga fechar o ano com as contas em dia.

Segundo informado as medidas que iniciaram de forma administrativa agora chegou aos gabinetes dos vereadores que tiveram a partir desta quinta-feira, dia 26 de setembro, os terceiros assessores dos gabinetes, que ocupavam os cargos de auxiliares administrativos exonerados.

Ainda segundo informado os cortes vão atingir a casa de R$ 175 mil ao longo do ano e serão cruciais para que as contas da casa fechem de forma salutar e regular ao final desta gestão da mesa diretora. Confira todos os detalhes e colocações da presidente em entrevista exclusiva dada ao Jornal O Popular.

Jornal O Popular (OP) – Presidente porque está sendo necessário promover estes cortes em folha e recursos da casa?

Terezinha do Salão (TS) – As medidas foram necessárias e mais evidenciadas após o mês de agosto, onde ouve o corte do repasse de R$ 106 mil referente ao Fundeb. A Câmara recebia R$ 719.509,20 e agora recebe 613.768,34. Como a Câmara vem passando por alguns problemas financeiros, foram necessário as intervenções, isso porque o valor que é repassado não consegue manter todos os cargos que a casa obtinha.

OP – Quais foram os cortes de servidores promovidos?

TS – Foram exonerados 24 servidores, 15 já haviam sido exonerados e agora mais nove estão sendo desligados a partir desta quinta-feira dia 26 de setembro. Anteriormente os servidores eram de áreas administrativas e agora os cortes chegaram aos gabinetes, os exonerados serão os terceiros assessores, que ocupam o cargo comissionado de auxiliar parlamentar e recebe vencimentos de R$ 1696,81.

OP – Como os vereadores encararam essa medida?

TS – Primeiramente quero ressaltar que eu mesma promovi o corte na carne. Desde o início de meu mandado como presidente eu sou a única dentro desta gestão que não teve chefe de gabinete, não tive diretor administrativo, eu não contratei mais assessores, posso falar que desde o início venho aplicando essas economias já em meu gabinete. Posso afirmar ainda que a maioria dos vereadores tem estado do meu lado me apoiando porque eles sabem que se não estiver tudo dentro da legalidade, quem vai responder por tudo ao final do ano sou eu. Estão me apoiando porque um vereador sozinho não consegue resolver nada, nós somos treze e a maioria sabe que se não fizermos estes cortes não vamos chegar ao final do ano com as contas em dia.

OP- Mas as medidas ficaram contidas às exonerações ou outras medidas também foram tomadas?

TS – Somente nos três primeiro meses eu economizei na casa R$ 155 mil, recurso que foi fundamental para fechar a folha do último mês. Mas ainda assim promovemos outras medidas. Cortamos todas as saídas, combustível, até mesmo os carros de comissões, foram restringidas todas as saídas de veículos. Todos os trabalhados a serem feitos fora da câmara, apenas um carro com um motorista sai do legislativo e isso acontece apenas uma vez por dia. Também houve corte de gratificações, horas extras, o lanche de terça à noite após a reunião foi cortado, cortamos a água mineral de garrafinha nos gabinetes, e o café dado aos servidores também está básico, pão com manteiga, chá e café, claro tudo muito bem feito.

OP – Com os cortes quais serviços serão suspensos e o que vai funcionar na casa; não existe risco de perder a qualidade do trabalho prestado?

TS – O Procon está suspenso por tempo indeterminado, mas é bom ressaltar que não tem nenhuma ação do Procon que ficou pendente. E foram feitos vários outros cortes nos cargos de servidores contratados. Estes cortes estão sendo feitos para que seja concluído todo o andamento dos trabalhos da Câmara. O Serviço de Assistência Jurídica (SAJ) não vai ser preciso realizar a suspenção, isso porque temos uma servidora efetiva do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC) e como o SAJ está ligado ao CAC ela vai dar continuidade aos trabalhos juntamente com as servidoras da casa, e a todos os processos que ali estão terão sua continuidade. A Escola do Legislativo também será mantida mesmo com todas as dificuldades, os profissionais vão continuar dando as aulas, será feito a formatura, porém será uma solenidade simples, mas que não vai deixar de enaltecer o trabalho.

OP – E quanto aos projetos e moções, como fica o trabalho na casa?

TS – Em novembro será realizado a solenidade de entrega da medalha no horário da reunião sem que haja a confraternização, será uma solenidade simples, mas também preparada com muito carinho. A tramitação dos projetos segue dentro do prazo regimental. O que houve foi uma otimização dos serviços, apesar da exoneração dos servidores as atividades da Casa, com exceção do Procon, seguem sendo desempenhadas da mesma forma como eram desempenhadas anteriormente.

OP – Bom presidente fechando a entrevista tem alguma consideração que você queira fazer?

TS – Quero sempre deixar claro que como presidente, coloco tudo nas mãos de Deus, agradeço a Ele por estar nos ajudando, agradeço aos desígnios de Deus, quanto a condução dos trabalhos da Casa, é Ele quem nos fortalece e nos ilumina quanto a cada decisão tomada para a frente da Câmara de Nova Serrana.

Mais lidas