Conecte-se conosco

Brasil

Em reunião com Zema, ministro da Saúde anuncia envio de 103 milhões de doses para todo o país até abril

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

O governador Romeu Zema participou na última quarta-feira, 17 de fevereiro de reunião, por videoconferência, com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e demais governadores para tratar sobre o envio de vacinas contra a covid-19 para os estados.

A estimativa, segundo o ministro, é que sejam enviadas 103 milhões de doses de imunizantes para todo o país nos meses de março e abril. Com isso, a previsão é a de que a maior operação de vacinação da história de Minas Gerais seja ampliada e chegue à população com mais agilidade.

“O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nos garantiu que teremos mais vacinas. Tivemos 10 milhões de vacinas em todo o Brasil no mês de janeiro, 11 milhões no mês de fevereiro, e agora para o mês de março está previsto 46 milhões de vacinas. E para o mês de abril, 57 milhões”, disse o governador.

Segundo ele, como Minas Gerais representa 10% da população do Brasil, o Estado deve receber cerca de 10% desse total de vacinas. “Então a previsão é que a fila comece a andar com muito mais rapidez, o que é uma ótima notícia para nós mineiros e também brasileiros”, afirmou.

Além da ampliação da vacinação, Zema e os demais governadores reforçaram ao ministro da Saúde o pedido de apoio na habilitação de leitos de UTI.

Covid-19

Desde o início da pandemia, o Governo de Minas adotou diversas ações no enfrentamento ao coronavírus. Uma das primeiras ações foi a aquisição de 1.047 respiradores, ao preço médio mais baixo do país. Isso permitiu que o Estado ampliasse de 2.072 para 4.055 leitos de UTI, muitos deles em municípios que nunca haviam contado com unidades de terapia intensiva.

Foto/Fonte: Caroline Lopes/Agência Minas

Mais lidas