Conecte-se conosco

Editorial - Opinião sem medo!

Eles estão entre nós!

Israel Silveira

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Desde que o mundo é mundo, uma série de fatos tem aguçado a imaginação e a noção de verdades e mentiras na humanidade. Alguns dizem que os fatos mais obscuros podem ser mentira, como as histórias de pescador, mas que no fundo aguça a imaginação da população, isso aguça.


Os mineiros por si têm várias lendas e mitos que fazem parte de sua cultura. O folclore nacional é sem dúvidas um emaranhado de acontecimentos inexplicáveis, histórias, contos e porque não verdades, que hoje se tornaram lendas.

Lobisomem, mula sem cabeça, chupa-cabra e até mesmo ETs. Sim Varginha tem a mal contada história do ET, e porque não pensar que, os seres de outro planeta estão entre nós?

E para tornar isso ainda mais interessante podemos dizer que um deles deve estar até mesmo vereando entre nós.

Somente acreditando nos mais absurdos acontecimentos podemos chegar a acreditar no que tem acontecido na política de nossa cidade. Já chegamos a não questionar mais a capacidade, e sim chegamos agora a acreditar que os fatos ocorridos são algo do além, do oculto e porque não, de outro planeta.

Então vejamos, os vereadores conseguiram aprovar numa tacada só três projetos que acreditavam ser a melhor das realidades para o mundo, só que os mesmos foram simplesmente vetados, e os colegas edis, nem mesmo sequer tiveram argumentos para abordar as pautas e tentar defender ou atacar tais matérias.

Com exceção de Willian Barcelos que trouxe o antigo, “eu avisei”; o líder de governo, que trouxe entre outras coisas um discurso técnico provavelmente feito pelo jurídico da própria prefeitura ou por sua assessoria, e Guilherme Bueno, que pediu aos colegas que votem nas pautas sem ceder à pressão popular e com maior conhecimento sobre as causas.

Claro, temos o mais bizarro cenário quando lembramos que o prefeito vetou o seu próprio projeto, que o seu líder teve que se embolar para defender o veto da matéria que seu próprio senhorio criou e negou.

Mas não é só isso, agora temos a bizarrice de ver o município assumindo a responsabilidade do Estado na educação, com um discurso no mínimo estranho para quem há pouco tempo, empurrou as crianças da rede municipal para uma unidade do estado.

Talvez o dinheiro destinado pelo deputado possa ter sido o motivo que fez a administração crescer os olhos na escola estadual; mas o que ainda não foi explicado nem tão pouco entendido pelos vereadores é o motivo de tal ação.

Pra falar a verdade, os vereadores vivem uma alienação, uma fraqueza de ideias e fundamentos tão grandes (claro com raras exceções), que somente olhando para Ricardo Tobias (MDB), para tentar compreender o que se passa por aqui e a conclusão, bom, é que os extras terrestres (ETs) estão entre nós.

A bizarrice do trabalho superficial e barato da nossa política se condiz com a indicação de Ricardo Tobias. Um Observatório astrológico.

Segundo Ricardo, um grupo de estudantes fez pela segunda vez a solicitação da indicação. Ora a primeira indicação tem tanto tempo que estes estudantes ou são de outro planeta ou já eram para serem doutores.

Olhando bem para Ricardo Tobias entendemos que na verdade o que ele quer é poder -de Nova Serrana – olhar para a sua casa, afinal se ele com essa indicação não é de outro planeta nada mais faz sentido.

Enquanto o Prefeito não entrega os 50 leitos para pacientes do covid-19 como prometeu, e escreve projetos próprios para vetar a si mesmo, a cidade segue enfrentando uma pandemia com aumento no número de mortes e casos, a questão financeira dos populares segue de mal a pior; empresas passam por momentos turbulentos, a educação tenta se apropriar da obrigação do Estado, sem ter ao menos competência para isso, e no pano de fundo, um vereador da base quer a construção de um observatório astrológico.

Ora se isso não é coisa de outro planeta, de ET, não sabemos mais o que é, e assim fechamos esse editorial com a certeza de que os ETs estão entre nós, e pelo visto, estão apenas observando o pau cair a folha, o ser humano se acabar na pandemia, corrupção e na incompetência, para assim tomar o seu lugar aqui na terra.

Jornalista - 11407 MTb - Editor chefe do Jornal O Popular

Mais lidas