Conecte-se conosco

Economia

Economia com o Horário de Verão em Minas é suficiente para atender Juiz de Fora e Sete Lagoas

Publicados

em

O pico de carga das duas cidades, juntas, é de 350 megawatts ou 4% da demanda total da Cemig no horário de ponta

O Horário de Verão terminou neste domingo (18/2), a partir da zero hora, quando os relógios das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste foram atrasados em uma hora. Durante os 126 dias de vigência da medida, a Cemig registrou uma redução diária de 4% na demanda do horário de ponta ou 350 megawatts. Essa economia é suficiente para atender, durante todo o período do Horário de Verão, o pico de carga de uma cidade de 800 mil habitantes, equivalente à soma das cidades de Juiz de Fora e Sete Lagoas.

Em termos gerais, a Cemig registrou redução no consumo de energia de 0,5% em Minas Gerais, o que significa uma economia de 108.000 megawatts-hora. Essa energia seria suficiente para abastecer Belo Horizonte, com mais de 2 milhões de habitantes, durante nove dias.

De acordo com o engenheiro de planejamento energético Wilson Fernandes Lage, da Cemig, o objetivo do horário diferenciado é que a população aproveite a iluminação natural mais longa – característica da estação – e reduza a demanda energética no horário de pico, das 18 às 21 horas. “A redução da demanda máxima no sistema é o maior benefício do Horário de Verão, porque alivia o carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia, aumentando a confiabilidade e a segurança da operação do sistema elétrico, reduzindo o risco de ocorrência de desligamentos no Sistema Interligado Nacional”, explica Wilson Lage.

Ainda segundo o engenheiro, a economia percebida pelos consumidores residenciais e comerciais se refere a menor utilização da iluminação artificial. Se não houvesse o Horário de Verão, os consumidores poderiam ter um acréscimo de 4% no consumo de energia com a iluminação artificial.

Próximo Horário de Verão será menor

Atendendo a um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o governo federal alterou o período de vigência do Horário de Verão através do Decreto nº 9.242/2017. O objetivo dessa mudança é evitar atrasos na apuração e na divulgação dos resultados do segundo turno das eleições. Essa alteração acontecerá a partir do Horário de Verão 2018/2019.

Dessa forma, o início do Horário de Verão passa a ser no primeiro domingo de novembro de cada ano, em vez do terceiro domingo de outubro como foi no ano passado, mantendo o término do período no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, exceto quando coincidir com o carnaval, como é atualmente.

Objetivos e Benefícios

O principal objetivo do Horário de Verão é a redução da demanda máxima durante o horário de pico de consumo do sistema elétrico brasileiro, que ocorre diariamente no período das 18 às 21 horas. Esta redução neste horário, aliada ao aumento de consumo de outras cargas devido às altas temperaturas observadas no período de verão (equipamentos de alta potência como ar-condicionado, climatizador de ar, ventiladores, dentre outros) podem fazer com que o horário de pico se transfira para a parte da tarde. Ainda assim permanece o benefício do horário de verão ao evitar a ocorrência de um segundo e maior pico diário de consumo.

Os principais benefícios desta redução de demanda no horário de ponta, além da redução dos investimentos no sistema elétrico, são o aumento da segurança operacional, decorrente da diminuição dos carregamentos nas redes de transmissão e distribuição, maior flexibilidade operativa para realização de manutenções, redução de cortes de carga em situações de emergência no sistema elétrico e a redução dos custos de operação do Sistema Interligado Nacional.

Mais lidas

Copyright © 2018 Ineo Sistemas