Conecte-se conosco

Câmara Municipal de Nova Serrana

Jadir Chanel pede documentação para avaliar denúncia de fraude em processo seletivo na Câmara Municipal

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Mais uma polêmica circula os bastidores da Câmara Municipal e agora, conforme exposto na reunião ordinária realizada na última terça-feira, dia 26 de novembro, a questão está relacionada a um processo seletivo realizado no legislativo de Nova Serrana.


Durante a reunião ordinária o vereador Jadir Chanel (MDB) afirmou que recebeu denúncias referentes a possíveis irregularidades no processo seletivo dos vigias da Câmara Municipal.

Conforme apontou Jadir Chanel ele já solicitou informações referentes ao processo seletivo mais até o momento não foi respondido. “Eu recebi uma denúncia de que o processo seletivo dos vigias tem fraude, então protocolei há 19 dias a solicitação de uma cópia do processo, e até o momento não recebi uma resposta da Câmara com os documentos para serem estudados. Se tem a denúncia temos que elevar a questão e dar uma resposta sobre isso”. Disse Jadir.

Após fazer suas considerações a presidente da casa, vereadora Terezinha do Salão (PTB) tomou a palavra e afirmou ao vereador que “a resposta de sua solicitação é que toda a documentação se encontra no site da Câmara. Se houver fraude tem que ser apurado e esse é o interesse desta casa, mas a Câmara está sem dinheiro para pagar a impressão das cópias, então todo o processo pode ser acessado pelo vereador pelo site, ou com o apoio do jurídico em minha sala”. Considerou vereadores Teresinha.

Chumbo trocado

Ainda relacionado a fiscalização da casa o vereador Jadir Chanel afirmou que estranha as considerações que já haviam sido feitas por Willian Barcelos (PTB) ao afirmar que irá a partir de 2020 investigar e fiscalizar os processos da casa. No entendimento de Jadir ao começar em 2020 o vereador deixará de aferir fatos importantes que ocorrem na casa.

Por sua vez Willian considerou que “o fato de começar a investigar em janeiro não quer dizer que eu vá investigar o ano de 2020, até porque isso é incoerente porque não se investiga o futuro, até porque ele ainda nem aconteceu, vou começar a investigar no próximo ano, mas os fatos que vem ocorrendo nessa casa nos três anos desta legislatura”, respondeu Barcelos.

Por fim o vereador ainda considerou que “ao analisar os processos seletivos sempre são encontrados irregularidades, questões que os próprios envolvidos poderiam acionar na justiça e pedir os seus direitos por meio de recursos. Não estou defendendo o processo em questão, mas quero deixar claro que se avaliarmos com o mesmo afinco os processos seletivos da prefeitura também vou encontrar uma série de irregularidades, então podemos fazer assim, eu fiscalizo a prefeitura, você vereador Jadir, os da Câmara, e então vamos pegar os de lá e os de cá “.  Finalizou o vereador.

Mais lidas