Conecte-se conosco

Administração

Detentos trabalham na manutenção e na limpeza das ruas de Sete Lagoas

Israel Silveira

Publicados

em

Além de contribuir para a ressocialização dos presos, parceria entre Sejusp e prefeitura tem contribuído para melhorias no município

Ruas, praças, avenidas e demais áreas públicas limpas e sem matos. Quem mora em Sete Lagoas, na região Central do estado, já nota a diferença na manutenção do município. Desde o início do mês, um Termo de Cooperação Técnica celebrado entre a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e a Prefeitura de Sete Lagoas tem permitido que detentos do regime semiaberto do Presídio Promotor José Costa realizem atividades de capina e limpeza dos espaços públicos da cidade.

As tarefas estão sendo executadas por dez presos da unidade desde o início do mês. Divididos em duas equipes, de cinco detentos cada uma, eles trabalham de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, em pontos diferentes da cidade, integrando as turmas de trabalho da Companhia de Desenvolvimento de Sete Lagoas (Codesel). Pelo trabalho, os presos têm direito a remição de pena. A cada três dias de trabalho, um é diminuído da sentença.

A escolha dos trabalhadores é feita pela Comissão Técnica de Classificação (CTC) da unidade prisional, que leva em conta, nos critérios de seleção, a situação da pena e o comportamento dos presos. A intenção é que nas próximas semanas mais pessoas privadas de liberdade integrem as frentes de trabalho. Pelo menos outras dez já devem começar atividades de limpeza do município nos próximos quinze dias.

Trabalhando desde o início da parceria, André de Fátima Andrade, 35, conta como a saída externa tem melhorado o cumprimento da pena. “Aqui me sinto útil de novo, deixando a cidade bonita e bem cuidada. É muito melhor do que ficar só dentro da unidade. É gratificante ver que a cidade está ficando linda e que eu estou ajudando nisso”, destaca.

Também preso, Osvair de Moura Silva, 34, endossa a opinião do colega. “Sempre trabalhei e agora estou aprendendo mais um ofício que é a capina. É bom saber que estamos fazendo o bem para a sociedade”, afirma.

Passeando pela Lagoa Cercadinho, ponto turístico da cidade, a moradora Juliana Silva elogiou o trabalho que estava sendo realizado. “Agora vai dar até gosto passar por aqui. Trazer as crianças para brincar, para admirar a natureza. Já fez diferença a parte que eles capinaram e vai ficar ainda mais bonito quando terminarem”.

Diretora de Atendimento do presídio, Daniela Freitas Ubaldo explica que parcerias como essa são fundamentais no processo de ressocialização dos detentos. “É uma oportunidade para quem quer mudar de vida, além de abrir portas para o mercado de trabalho”, ressalta.

A diretora lembra ainda que a unidade busca qualificar os presos, seja por meio de orientações sobre o mercado de trabalho – incluindo técnicas de como montar um currículo, onde entregar, apresentação pessoal e como montar um negócio próprio –, ou por meio de parcerias de trabalho e cursos técnicos. Além disso, já estão em andamento conversas com a prefeitura sobre a possibilidade da oferta de cursos profissionalizantes aos detentos que integram as equipes de limpeza.

Mais lidas