Conecte-se conosco

Governo Estadual

Cuidados para evitar dengue, chikungnya e zika devem ser reforçados nas férias aponta governo de Minas

Avatar

Publicados

em

Com a chegada do final de ano e início do mês de janeiro, muitas famílias aproveitam o período de festividades e férias para viajar ou se ausentar por longos períodos de casa. Diante disso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) reforça sobre os cuidados com a saúde e proteção contra às infecções causadas por vírus transmitidos pelo Aedes aegypti e que podem causar a dengue, chikungunya e zika.

A coordenadora do programa estadual das Doenças Transmitidas pelo Aedes, da SES, Carolina Amaral, lembra que as doenças não são transmitidas de pessoa a pessoa. A contaminação se dá pela picada do mosquito do gênero Aedes infectado pelos arbovírus (dengue, zika ou chikungunya).

“Para evitar o acometimento destas arboviroses alguns cuidados são essenciais e proporcionam proteção contra a picada, como o uso individual de repelentes domésticos em aerossol, espiral ou vaporizador, roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos. Para quem dorme durante o dia, como bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos, os mosquiteiros também podem ser utilizados para auxiliar na proteção. Em caso do surgimento de algum sintoma, a orientação é procurar ajuda médica”, ressalta.

Focos do mosquito – Além dos cuidados com a saúde, não se pode esquecer também de evitar focos do mosquito. Lembrando que a dengue, zika e chikungunya são infecções causadas por vírus transmitidos pelo Aedes aegypti. Embora tenham sintomas parecidos, elas apresentam algumas caraterísticas que podem ajudar a diferenciá-las..

Dados

Em 2019, até 18/12, Minas Gerais registrou 483.733 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue e 171 óbitos em 50 municípios.

Em relação à chikungunya, Minas registrou 2.805 casos prováveis. Até o momento, foi confirmado um óbito por chikungunya no município de Patos de Minas e existe um óbito em investigação.

Já em relação à zika, foram registrados 725 casos prováveis da doença até a data de atualização do boletim. O estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes.

Cabe lembrar que Nova Serrana foi a cidade da região com o maior número de casos de dengue notificados, sendo contabilizados 4.483 casos e duas mortes confirmadas

Mais lidas