Conecte-se conosco

Brasil

Com baixa distribuição de doses, vacinação de Covid-19 em Nova Serrana segue em ritmo lento

Avatar

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Com escassez de recursos, diretrizes do ministério da saúde fazem com que média atual de aplicação de doses da vacinação contra covid-19 seja pequena e se mantida será concluída em Nova Serrana dentro de 16 anos


No dia 20 de janeiro, este Popular esteve presente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Serrana e acompanhou o início da imunização dos profissionais da saúde, contra o coronavírus.

A ação que ocorreu de forma singela e prática foi o start para o que muitos pensavam ser o início do fim da pandemia de Coronavírus, contudo, na prática as coisas caminham de forma bem diferente.

Questões políticas e burocráticas intervém diretamente na aquisição de vacinas contra Covid-19, a distribuição das doses aos estados é baixa, e para piorar, dos estados para as cidades é ainda menor.

Conforme informado no vacinômetro, afixado no portal do Governo de Minas Gerais, até a manhã da última sexta-feira, 26 de março, o Estado recebeu do Governo Federal, 3.159.730 doses da vacina contra coronavírus, sendo repassadas aos municípios 3.157.172 doses.

O número parece alto, mas levando em consideração que o Estado conta com uma população de aproximadamente 21,2 milhões de habitantes, e ainda, tendo em vista que devem ser aplicadas duas doses da vacina em cada cidadão, será necessário aproximadamente 42,5 milhões de doses para imunizar toda a população mineira.

Dessa forma, para concluir a vacinação em todo o Estado, o governo de Minas necessita do recebimento de aproximadamente 13 vezes o total de vacinas que recebidas desde o início da vacinação até o momento, o que levaria aproximadamente três anos.

16 anos para a vacinação

Quanto à ótica é levada para os municípios a situação fica bem mais drástica. A exemplo, os fatos presenciados em Nova Serrana, onde a distribuição de vacinas por parte do governo do Estado segue em ritmo lento.

Do total de 3,157 milhões de vacinas distribuídas pelo executivo estadual aos municípios mineiros, somente 3.206 doses foram encaminhadas para Nova Serrana, cidade que mais cresce em Minas e conta atualmente com população de 105.520 (IBGE).

Em 64 dias de campanha de vacinação em Nova Serrana (tendo como base a quinta-feira, dia 25 de março), segundo o vacinômetro, foram aplicadas no município 2299 doses, das quais 1711 foram de primeira aplicação e 588 para segunda dose. Sendo assim em média são aplicadas na capital do calçado 35 doses da vacina contra Covid-19 por dia.

Mantendo essa média diária, e tendo em vista que são necessários 211.040 doses, para imunização de toda a população, serão necessários 5.965 dias, ou aproximadamente 16 anos para que toda a população de Nova Serrana seja vacinada.

O número alarmante e chocante, no entanto, não é responsabilidade direta da administração, uma vez que Nova Serrana e todas as outras cidades do país estão de mãos atadas, diante das especificações e normativas aplicadas pelo Governo Federal.

Cidades de Mãos atadas

Por sua vez as cidades se organizaram na busca da compra de vacinas, com o objetivo de agilizar o processo de imunização. A iniciativa no entanto foi limitada pelo Governo Federal, que por sua vez afirmou que todas as doses compradas no Brasil, independente se forem adquiridas pelos municípios ou setor privado, serão direcionadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI).

“De uma forma clara, para não haver dúvida, independentemente de quem compre a vacina, uma vez autorizado pela Anvisa na sua segurança e eficácia, essa vacina será coordenada, a sua distribuição, pelo programa nacional de imunização”, afirmou o ex- ministro da saúde, Pazuello.

As normas aplicadas sobre possível compra de vacinas pelos municípios caiu com um balde de água fria sobre os executivos municipais, tornando a aquisição das vacinas de certa forma inviável pelas Prefeituras.

“Estamos monitorando a situação da autorização para a aquisição por parte dos municípios. Pazuello antes de sair deixou claro que nenhum município poderá, por conta própria, comprar as vacinas e imunizar a população, as doses devem ser distribuídas através do Programa Nacional de Imunização (PNI), esperamos que o novo ministro entenda que não é uma competição, os municípios irão ajudar com a imunização, não é questão de ser melhor”. Disse o Prefeito de Nova Serrana Euzebio Lago durante coletiva realizada na última semana.

No caso de Nova Serrana, e também de praticamente todos os demais municípios brasileiros, além de ter recebido tão baixo número de doses, as cidades ainda tem que seguir as diretrizes de vacinação estabelecidas pelo Ministério da Saúde. No último dia 21 de março por exemplo, foi encaminhado pelo Ministério da Saúde o Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS que ratificou o público alvo prioritário de profissionais da saúde na vacinação.

O documento encaminhado, além de ratificar o público alvo dos profissionais da saúde, foi também apontado que “é de interesse deste Ministério da Saúde, vacinar toda a população brasileira que tenha indicação para uso dos imunizantes a para da aquisição de mais quantitativos de vacina”. Diz o ofício.

Diante das especificações e do andamento da campanha de vacinação em Nova Serrana o governo municipal tem cumprido com a obrigatoriedade e por sua vez segue as diretrizes determinadas pelo Ministério da Saúde, assim como pontuou a secretária Municipal de Saúde, “fazemos as vacinas de acordo com o quantitativo que é encaminhado para o município. Nós seguimos o cronograma do Ministério da Saúde e as nota técnicas semanais encaminhadas ao município orientando sobre as vacinas semanais”. Finalizou Glaucia Sbampato.

 

Mais lidas