Conecte-se conosco

Abuso Sexual

CASO DE ABUSO EM NOVA SERRANA – Polícia Civil afirma que investigação ainda não foi encerrada

Publicados

em

Família da criança afirma que foi pega de surpresa com matéria publicada em veículo local afirmando que investigações tiveram seu desfecho nesta segunda-feira. Informa ainda que não teve acesso a laudo pericial e aponta que sequer foi comunicada que uma entrevista sobre o caso seria concedida

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) emitiu no fim da tarde desta segunda-feira (16/5), uma nota oficial informando que, o as investigações do suposto caso de abuso contra uma criança em um Centro Municipal de Educação Infantil em Nova Serrana não está arquivado.

A nota repassada contradiz a notícia publicada em um veículo de comunicação da cidade informando o desfecho do caso, apontando ainda que os laudos não foram concluídos e os procedimentos de investigação seguem sendo realizados pela instituição.

Confira a nota na integra:

“Sobre o suposto caso de maus-tratos e violência contra uma criança de 01 ano e 06 meses, registrado na cidade de Nova Serrana, região Centro-Oeste do estado, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que um procedimento investigatório já foi instaurado, e que todas as diligências necessárias estão sendo realizadas para apuração dos fatos.

A PCMG ainda aguarda os resultados dos laudos periciais, não sendo possível fornecer quaisquer informações até a conclusão do inquérito policial. Informamos ainda que, conforme determina a legislação, o caso segue em segredo”.

O setor de comunicação da PCMG ainda reforçou com a equipe deste Popular: “Gostaria de deixar registrado aqui que as investigações ainda não foram encerradas, pois o resultado dos laudos periciais ainda não foram concluídos.”

Família da criança questiona divulgação desfecho da investigação

Diante dos fatos ocorridos e noticiados nesta segunda-feira (16), a reportagem deste Popular entrou em contato com a família da criança, que contou estar em choque com a divulgação realizada, uma vez que até então sequer havia sido comunicada sobre o “desfecho do caso”, e nem mesmo receberam uma ligação por parte da Polícia Civil informando que a entrevista seria concedida.

A mãe da criança, ainda informou a nossa equipe que até o momento não teve acesso aos laudos periciais da PCMG, fato que ocorreu provavelmente porque conforme a nota encaminhada, os mesmos ainda não foram concluídos.

“Boa tarde sou a mãe da criança desta reportagem e até o momento não tive contato nenhum com a PCMG, eles não me informaram nada sobre o inquérito. Eu fiquei sabendo sobre essa reportagem (entrevista da delegada e reprodução do conteúdo por um veículo de Nova Serrana) por que foi postada em um grupo que eu estou e eu estou arrasada, porque, eu achei que depois dos meus depoimentos, da minha família que eles chamaram, teriam uma coerência com os meus sentimentos e do meu filho, me ligando e me informando que pelo menos iria sair na rádio. Não fiquei sabendo desta entrevista até então não recebi nenhum laudo que me fala sobre esta entrevista”. Disse a mãe da criança.

Confira o áudio abaixo.

Nota do jornal O Popular

Este Popular ressalta que tem o compromisso com a informação e segue todos os protocolos para divulgação de matérias relacionadas a casos de interesse popular e que venham estar sobre sigilo. Diante disso ratificamos nosso trabalho, repassando integralmente e oficialmente as notas encaminhadas pela PCMG.

Ratificamos que não temos quaisquer interesse em prejudicar ou expor quaisquer partes envolvidas no caso que segue em segredo de justiça, por isso seguimos omitindo nomes, endereços e local do possível fato, como também salientamos que a conclusão do caso, sendo comprovado ou não o possível abuso pelos médicos legistas, terá total e ampla divulgação de nossa equipe, assim como deve ser feito o jornalismo sério e responsável.

Mais lidas