Conecte-se conosco

Brasil

Ao menos 62 políticos morreram por causa da Covid-19 no Brasil

Israel Silveira

Publicados

em

A republicação total ou parcial deste conteúdo é gratuita desde que citada a fonte com o link para o site do portal "opopularns.com.br" | A não citação da fonte com o link para o site implicará em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais 9610/98.

Ao menos 62 políticos morreram em decorrência da pandemia do novo coronavírus no Brasil, entre eles, estava Maguito Vilela, prefeito licenciado de Goiânia

Desse total, 25 políticos que morreram ocupavam a posição de prefeito. Entre eles, estava Maguito Vilela, prefeito licenciado de Goiânia. Ele estava internado desde outubro em estado grave e morreu devido às complicações da doença nesta quarta-feira (13).

Morreram também dois vice-prefeitos: João Gilberto Ripposati, de Uberaba (MG); e José Francisco de Aguiar, de Jacinto Machado (SC), além de 11 ex-prefeitos.

Entre os mortos está o ex-governador da Paraíba Wilson Braga. Ele morreu em 17 de maio de 2020, e sua esposa, Lúcia Braga, também morreu em decorrência da doença.

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) também foi um dos mortos pela Covid-19. Ele morreu em 21 de outubro, aos 83 anos.

Já entre os deputados está Nelson Meurer, ex-deputado e primeiro político condenado na Operação Lava Jato. Também morreram devido à doença Gil Vianna (PSL-RJ), Caio Nárcio (PSDB-MG) e Sálvio Dino, pai de Flávio Dino, governador do Maranhão, entre outros.

Em relação aos vereadores, 10 já morreram, incluindo nomes como Jair Marcelino (PSD), de Curitiba; Jaspe Bastos de Oliveira, ex-presidente da Câmara dos vereadores de Praia Grande (SP), e Salvador Philomeno Poli, de Itupeva (SP).

Já entre os pré-candidatos e candidatos às eleições municipais de 2020 que morreram durante ou poucos dias antes da corrida eleitoral estão Edileusa Lóz, candidata a vice-prefeita de Boa Vista; Ricardo Nunes Batista, pré-candidato à prefeitura de Palmas, e Kadu Castro, pré-candidato a prefeito de Coaraci (BA).

  • Fonte CNN Brasil
Leia mais...
Propaganda

Mais lidas