Conecte-se conosco

Câmara Municipal de Nova Serrana

Vereadores repercutem anúncio de cancelamento do contrato de Nova Serrana com a Copasa

Avatar

Publicados

em

Durante a reunião ordinária da última terça-feira, dia 22 de setembro, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), ou o anúncio de cancelamento do contrato com a estatal por medida administrativa adotada pelo executivo municipal foi  tema mais abordado pelos edis.

Com opiniões divididas os vereadores abordaram a dificuldade presenciada em Nova Serrana pela constante interrupção no abastecimento de água, mas apontaram várias questões que geram dúvidas quanto ao rompimento do contrato.

Entre as considerações dos vereadores, o pagamento da multa rescisória de aproximadamente R$ 122 milhões, a licitação de uma nova empresa, e até mesmo indicação de que o rompimento do contrato seria uma atitude eleitoreira tomada pelo executivo foi afirmado.

Elaboração do Novo Contrato

Em suas considerações o vereador Willian Barcelos (PTB) trouxe à tona a discussão sobre a Copasa, lembrando que o assunto iniciou em 2016, atravessou 2017, 2018, 2019, teve CPI, “e agora temos uma publicação do município o qual o prefeito, recusou o recurso administrativo da Copasa, no que se refere a quebra de contrato, é o objetivo do município”.

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE NOVA SERRANA AQUI NO JORNAL O POPULAR

Seguindo o vereador que foi relator da CPI contra a Copasa se colocou a disposição do município para auxiliar na elaboração do novo contrato e processo licitatório, mediante ao conhecimento de causa obtido por ter sido relator da CPI.

Willian ainda disparou que “o problema está nas amarras do contrato, ela é uma boa empresa, só não trabalhou em Nova Serrana como a gente queria. Se ficar que fique para trabalhar, se sair que venha uma empresa que cumpra o que a população almeja e paga”.

Dificuldades do rompimento com a estatal

Em suas considerações o vereador Remirton José (PL) apontou a dificuldade quanto ao rompimento do contrato com a empresa e a dificuldade presenciada pelos municípios que romperam o contrato com a estatal.

“Se sair da Copasa é como sair do espeto e cair na brasa. É só olhar para os outros municípios que tiram a Copasa e veja a dificuldade que elas passam”.

Ação eleitoreira

Já o vereador Cabral (Solidariedade) mesmo afirmando que não queria comentar sobre a empresa, abordou o tema e iniciou suas falas apontando que o problema da Estatal é a falta de investimento e independência.

“O que falta na Copasa é investimento, é independência, requerimento para implantação de um escritório aqui em Nova Serrana, para que se tenha autonomia, para que as decisões sejam tomadas aqui, e não tenhamos que tudo ser decidido ou buscado em Divinópolis ou Bom Despacho”

Seguindo o vereador disparou “isso é coisa política, não se tira uma empresa dessa, R$ 120 milhões de multa, de onde vai tirar isso? Vai tirar do copo d’agua da população… Isso é politicagem, quem vai pagar a multa, a empresa que vai chegar? O prefeito? Vai ser a população! Vai melhorar a qualidade da agua, do esgoto? … O que a população precisa mesmo não faz”.

Autarquia

Por sua vez o vice-líder do governo, vereador Jadir Chanel afirmou que a solução é a criação de uma autarquia em Nova Serrana.

“Sou favorável que o município monte uma autarquia, que no recurso desse grosso volume de dinheiro fica aqui, ai a gente tem como ter qualidade sem cabide de emprego. É complicado legislar, porque a gente fica sem saber aonde dói menos, onde a população sente menos, como fazer para que a população pague menos e tenha melhor qualidade”.

Mais lidas