Conecte-se conosco

Câmara Municipal de Nova Serrana

Vereadores fiscalizam causa da mortandade de peixes no Rio Pará

Avatar

Publicados

em

Na tarde desta quinta-feira, dia 31 de outubro, os vereadores da Câmara Municipal de Nova Serrana procuraram buscar explicações claras sobre a causa da morte de peixes que ocorreu nos últimos dias no Rio Pará.

Segundo informado pelo setor de comunicação da Câmara Municipal os parlamentares saíram em conjunto para verificar com os responsáveis na Compania de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) se houve alguma anormalidade ambiental, de cunho natural ou provado por vazamento químico nas águas do rio.

de acordo com a Câmara, o objetivo dos vereadores foi dar uma resposta às inúmeras reclamações da população que se preocupou com peixes que estavam aparecendo mortos em vários trechos ao longo do rio e consequentemente a preocupação dos cidadãos também quanto ao consumo da água.

Para tranquilizar a todos, os vereadores visitaram tanto a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Rio Pará, local onde a água é captada para tratamento e também e Estação de Tratamento de Esgoto (ETE),  para conversar com técnicos da estatal.

Os vereadores receberam a informação de que o engenheiro químico da empresa já coletou a água que foi encaminhada para o laboratório de análises em Belo Horizonte. Uma série de elementos será verificada, dentre eles, a quantidade de oxigênio da água. Os técnicos também coletaram peixes encontrados no Rio Pará e eles passarão por análises e exames no menor tempo possível.

A presidência da Câmara encaminhou ofício à Copasa solicitando uma cópia do laudo da análise para que a população fique ainda mais tranquila. Entretanto, é importante esclarecer que a água encaminhada para as residências da população recebe um tratamento adequado e que não há risco algum para o consumo humano.

Vista a ETE

Aproveitando a visita à ETE – Estação de Tratamento de Esgoto, os vereadores verificaram outras questões que haviam sido pontuadas durante as investigações da CPI da Copasa. Um dos pontos foi plantação de uma barreira verde, ou seja, a plantação de árvores como eucaliptos ou outras que cumprissem a função de conter o odor proveniente do tratamento dos dejetos.

O cinturão verde era uma condicionante para a licença ambiental para a operação da ETE. Na ocasião, foi informado que a empresa já efetuou o plantio de 5 mil mudas na área ao redor da estação.

Segundo repassado os vereadores estão atentos a todas as questões que afetam a qualidade de vida dos moradores. Eles continuarão acompanhando a situação do Rio Pará e, assim que o laudo da análise estiver pronto, eles farão questão de esclarecer para a população, principalmente por se tratar de uma questão que envolve a saúde pública.

Estiveram presentes na vistoria realizada os vereadores: Terezinha do Salão (PTB), Chiquinho do Planalto (PSD), Cabral (PROS), Giovani Máximo Silva (MDB), Sandro Moret (PCdoB), Willian Barcelos (PTB), Jadir Chanel (MDB) Doia Ceará (PCdoB), além  do assessor do vereador  José Alberto (PDT).

 

Mais lidas