Conecte-se conosco

Editorial

” Que tiro foi esse” … Paulo Cesar de Freitas?

Avatar

Publicados

em

“É muito mais difícil matar um fantasma do que matar uma realidade”

Essa frase traduz bem o que tem acontecido no campo político de Nova Serrana.

No meio onde “cobra come cobra”, como foi colocado no editorial da edição desta quinta-feira, dia 22 de fevereiro, o risco maior não tem sido aqueles que são vistos, que estão declaradamente na guerra, mas sim os fantasmas que ficam por detrás dos bastidores assombrando a vida dos atuais políticos.

Nos filmes de ação por exemplo, o Sniper, é o atirador mais ardiloso, ele fica a espreita de um lugar privilegiado, onde ele tem uma visão ampla dos acontecimentos e fica é claro, encoberto, escondido, dando seus tiros e vitimando os inimigos que não conseguem ao menos saber de onde vem as balas, elas apenas matam, e como um fantasma que não é encontrado, o atirador faz suas vitimas.

E na política de nossa cidade, acreditem, existe um atirador que tem jogado como um fantasma. Isso mesmo caros leitores, Paulo Cesar de Freitas é um fantasma que tem feito estrago no que entendemos como democracia.

O ex-prefeito não se satisfaz com todo o histórico de corrupção que prejudicou e muito o crescimento de nossa cidade, afinal, apenas com o dinheiro do Nacional pelo menos uma unidade de saúde poderia ter sido construída e prestaria serviços coesos e necessários para milhares de pessoas de comunidades que necessitam desse alento. Ele ainda articula, manipula e agora deu um tiro que até o momento foi certeiro.

O fantasma ainda tem a política na mão, ele ainda tem o poder de manipular e fazer com que o jogo siga suas regras, suas cartas, suas ordens e a formação na câmara da comissão permanente de finanças faz parte desse jogo.

Parafraseando o funk, “que tiro foi esse?”, esse causou um arraso no que se entende como moral, afinal, uma comissão composta por três vereadores do mesmo grupo, grupo subsidiado com sua força política e que tem intuito de tornar a vida de Euzebio mais difícil, foi certeiro.

A comissão que pode mudar seu posicionamento perante a nova apresentação das contas rejeitadas do prefeito, agora é composta por três nomes que são seus. E se a Câmara acompanhou o relatório do relator em situação passada a tendência é que em um futuro próximo, antes das eleições para deputado, tomem o mesmo norte.

Porém algo não foi pensado. O relator do antigo parecer é o vereador Valdir Mecânico (PCdoB), que anteriormente era o líder do executivo na casa, e agora faz parte do grupo de oposição a Euzebio.

Valdir deu parecer contrário as contas do ex-prefeito, e agora, caso a virada de mesa aconteça, caso Paulo com seu pozinho de pirim$ pim$ pim$, consiga reverter a situação na ju$tiça, seu posicionamento será mudado?

Vai ser muito feio se o vereador depois de mudar de lado, também mudar de posição, e seguir a favor do político que foi taxado como inelegível após sua “ANALISE CRITERIOSA”, entender que Paulo cometeu crime de improbidade administrativa e por isso devesse ser colocado como inelegível.

O tiro, caros leitores, poderia sair pela culatra, poderia porque o nome desse jogo é Política, e Paulo aqui não é nada além de um fantasma, alguém que não é visto nos bastidores políticos da cidade a anos, alguém que por muitas vezes foi atacado, mas ainda não foi efetivamente morto.

Talvez o ex-prefeito fosse na verdade um personagem da tão famosa série “Game Of Thrones” (jogo dos tronos). E se for assim ele provavelmente é o rei das ilhas de ferro, faz parte da família Greyjoy, um povo que tem como lema a frase “O que está morto não pode morrer”, e talvez seja por esse motivo que matar o maior fantasma da política nesse jogo de poder seja algo mais complexo do que se imagina.

Continue Lendo
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Mais lidas